Contratação temporária para o Natal

Segundo empresários, número pode subir de acordo com a demanda

O Natal é uma data promissora para o comércio varejista e movimenta diversas cadeias de produção do segmento do comércio de bens, serviços e turismo. Uma ação comum nessa época é a contratação de mão de obra temporária para cumprir com as demandas. Neste ano, 33% dos empresários entrevistados pela área de Estudos Econômicos da Fecomércio MG afirmaram que vão contratar, número 7,6% maior do que o apurado em 2013.

O economista da Federação Gabriel Ivo ressalta que os empresários tiveram dificuldades ao longo do ano, principalmente nas datas comemorativas, devido à instabilidade econômica e à redução do consumo das famílias. “A expectativa dos empresários aumentou com a aproximação da data e, por isso, a intenção em contratar está maior que no ano passado, mas isso não é uma garantia”.

Números

De acordo com o estudo, 14,3% dos entrevistados vão acrescer o quadro de temporários. Entre eles, 46,7% dizem que vão aumentar 10% das vagas, 26,% afirmam que irão ampliar de 10% a 20% do quadro e 20% apontam que aumentarão entre 20% e 50%.

Com índice superior ao apresentado em 2013, a falta de capacitação continua sendo o desafio nas contratações para 36% dos empresários. Em segundo lugar, está a falta de experiência, com 27,2% das respostas, seguida da incompatibilidade do perfil dos profissionais, com 19,1%.

O economista explica que a contratação de mão de obra temporária é benéfica devido ao baixo custo e risco para o empresário, além de não gerar uma imagem irreal de alta rotatividade na empresa.

De acordo com a pesquisa, se o mercado apresentar bons resultados durante o período, 32,7% pretendem aumentar o número de temporários. Em relação às perspectivas de efetivação, 31,8% dos empresários sugerem que as possibilidades são grandes, sendo que 47,1% delas deverão ocorrer no mês de janeiro.

Postagens Recentes