Comércio de BH pode ter pior Dia das Mães dos últimos anos

Página Inicial / Pesquisa / Pesquisa do Comércio Varejista / Datas Comemorativas do Comércio / Comércio de BH pode ter pior Dia das Mães dos últimos anos
O Dia das Mães, comemorado no segundo domingo de maio, é a segunda data mais importante para o comércio varejista. A ocasião é sempre aguardada com otimismo pelos empresários, mas segundo duas pesquisas realizadas pela área de Estudos Econômicos da Fecomércio MG, a data em 2015 pode ficar abaixo das expectativas. Segundo a Pesquisa de Opinião do Consumidor – Dia das Mães, apenas 54,8% dos belo-horizontinos pretendem presentar alguém nesse dia, menor percentual desde 2007, quando bateu a marca de 87%. Já a pesquisa Expectativa do Comércio Varejista – Dia das Mães, apenas 28% dos empresários acreditam que as vendas serão melhores do que no ano passado, ante 41% que afirmaram esperar vendas menores.

Pesquisa com consumidores

Entre os motivos apresentados, 43% dos entrevistados afirmaram não ter a quem presentear; 14,2% disseram não ter o costume de dar presentes; e 13% estão endividados. Entre os que darão presentes, apenas 27,9% estão dispostos a gastar mais do que no ano passado, enquanto a maioria (38,1%) pretende gastar menos do que em 2014; e 34% pretendem usar o mesmo valor. O item preferido para a ocasião são as roupas (38,9%), depois os eletrodomésticos e eletrônicos (17,2%) e perfumes (16,6%).

Para 32,2% dos consumidores, o principal estímulo na hora de decidir a compra são as promoções, um pouco a frente dos 29,3% que buscam preço baixo. Já o que mais desestimula as compras é o preço alto (50,2% das respostas), seguido de 27% dos belo-horizontinos que apontam o atendimento precário como desestímulo à compra.

“Um dos maiores desafios para o empresário nesta época é aproveitar as oportunidades desse ambiente de negócios, caracterizada pela maior disputa pela preferência do consumidor. Como este parece ser um ano difícil para as vendas, conhecer e entender as razões de possíveis posicionamentos e escolhas das pessoas é fundamental para a adoção de estratégias de estímulos eficazes”, explica a supervisora de Estudos Econômicos da Fecomércio MG, Luana Oliveira.

Pesquisa com empresários

Para 53,3% dos empresários de BH, o apelo emocional é o principal fator que levará o consumidor às compras, mas 17,7% reconhecem que promoções de estímulo ou um estoque diversificado (11%) também podem atrair o consumidor. Entre os fatores que podem atrapalhar as vendas, estão o endividamento do consumidor (51,6%) e produtos com preços altos (33,4%).

O preço tem sido um tópico de atenção por parte dos empresários e, segundo a pesquisa Expectativa do Comércio Varejista, ele será um item crucial na estratégia de vendas: 58,5% estão focados em fornecer preços diferenciados da concorrência. Entre as medidas para incrementar as vendas, 52,9% dos entrevistados vão apostar nas promoções, seguidos por 14,8% que irão investir na visibilidade da loja e das vitrines.

Postagens Recentes