Festas juninas aquecem negócios

Tradicionais no calendário do brasileiro, as festas juninas têm se tornado uma data importante para o comércio varejista, aquecendo os negócios em diversos segmentos. O destaque são as empresas de gêneros alimentícios, uma vez que 40% têm um impacto positivo em junho, especialmente na segunda quinzena, com as comemorações dos dias de São João (24) e São Pedro (29). A constatação é de uma pesquisa realizada pela área de Estudos Econômicos da Fecomércio MG, com o objetivo de identificar a expectativa dos empresários do setor, em Belo Horizonte, nesse período.

De acordo com o levantamento, 65% deles esperam um volume de vendas igual ou superior ao do ano passado. Para estimular os clientes, a maioria do empresariado (70,9%) irá investir em produtos típicos ao longo do mês e também na primeira quinzena de julho, já que as celebrações costumam se estender até lá. Os principais artigos serão canjica (86,3%), amendoim (80,4%) e doces (51%).

Além disso, 45,8% pretendem oferecer promoções e liquidações, e 20,8% apostarão na propaganda para alavancar as vendas. “Mesmo com um cenário de crise econômica, percebemos que há um otimismo dos empresários, porque, nessa época, há uma preferência das pessoas por novos produtos – aqueles relacionados ao frio. E as festas juninas dão um incentivo ainda maior para essas compras”, avalia a analista de pesquisa da Fecomércio MG, Elisa Castro. Ela acrescenta que, como o segmento é muito concorrido, as ações promocionais e os preços baixos serão determinantes para o consumidor.

Os hipermercados e supermercados (86,7%), seguidos pelos minimercados, mercearias e armazéns (47,8%), são as atividades mais impactadas com as festividades. Mesmo que em menor escala, a data também gera um movimento extra para os setores de padaria, laticínios, doces, balas e semelhantes, hortifrutigranjeiros, açougue e peixarias e bebidas.

Postagens Recentes