Aceitação dos cheques em queda no comércio

Página Inicial / Notícia / Economia / Aceitação dos cheques em queda no comércio

A não aceitação de cheques foi a medida adotada pela maioria dos empresários da capital mineira como forma de evitar o quadro de inadimplência. De acordo com a pesquisa Análise do Comércio Varejista de julho, elaborada pela área de Estudos Econômicos da Fecomércio MG, 66,2% dos empresários recusam essa forma de pagamento, considerada por muitos a menos segura.

Os dados da Federação ratificam os números apresentados pelo Banco Central (BC) no último Relatório de Vigilância do Sistema Brasileiro de Pagamentos. Segundo o documento, a quantidade transacionada e o volume das transações por meio de cheques diminuíram 12% e 9%, respectivamente. O economista da Fecomércio MG, Guilherme Almeida, avalia os fatos como um processo natural de substituição das formas de pagamentos. “A redução do cheque foi acompanhada pela elevação das formas de pagamento eletrônicas. Esses meios, representados pelos cartões de crédito e débito, proporcionam mais segurança nas transações, além de ofertar maior comodidade tanto para o cliente quanto para o empresário. Além disso, o avanço da inadimplência e das devoluções dos cheques por insuficiência de fundos faz com que a aceitação desse meio seja reduzida.”

O relatório do BC aponta também um aumento de 15% e 4% nas quantidades transacionadas pelos cartões de débito e crédito, respectivamente, bem como no volume dessas transações. Esse documento pode ser acessado neste link.

Veja a pesquisa da Fecomércio MG neste link.