Potencial de crescimento do turismo de Minas

Página Inicial / Notícia / Economia / Potencial de crescimento do turismo de Minas
As belezas naturais, como matas, montanhas e cachoeiras, as cidades históricas de tradições centenárias e as novas experiências culturais são atrativos reconhecidos em Minas Gerais. No entanto, esse potencial turístico ainda pode ser mais explorado tanto no cenário nacional quanto internacional, conforme destaca a pesquisa Perfil do Turista Belo-Horizontino, realizada pela área de Estudos Econômicos da Fecomércio MG e o Núcleo de Turismo da entidade.

De acordo com o levantamento, 67,4% dos consumidores da capital realizaram, pelo menos, uma viagem nos últimos 12 meses, sendo que 40,3% optaram por destinos dentro de Minas. Nesse período, 35,6% fizeram passeios em outros Estados, e 7,7% escolheram viagens internacionais. Para os próximos 12 meses, 20,9% programam visitar cidades mineiras, embora um número maior (29,4%) deseje viajar para outros municípios brasileiros, e 5,7% pretendam aproveitar destinos no exterior.

O economista da Fecomércio MG, Guilherme Almeida, considera que, no atual cenário de crise, o volume de viagens apontado na pesquisa é positivo, principalmente porque movimenta toda a cadeia do turismo (com setores como transporte, hotelaria, restaurantes e varejo local). Além disso, segundo Almeida, é grande o número de pessoas que não programam as viagens (31,1%). Como as decisões podem ser tomadas posteriormente, o volume de passeios tende a crescer no futuro. “A riqueza gerada pela atividade turística do Estado fica concentrada em apenas dez dos 853 municípios. Ainda há muito espaço para evolução e atração de mais visitantes”, observa.

A analista de Turismo da entidade, Milena Soares, avalia que as demais cidades mineiras podem ter como base o perfil e o comportamento dos moradores de Belo Horizonte, potenciais consumidores turísticos, e assim desenvolver ações para públicos diferenciados. “Embora nosso Estado reúna características procuradas pelos viajantes, é essencial que o empresariado conheça melhor seus consumidores para traçar um planejamento estratégico capaz de trazer mais pessoas interessadas em visitar Minas”, ressalta.

Conforme o levantamento, 46% dos consumidores associam o turismo ao descanso e à tranquilidade. Em segundo lugar aparece diversão e entretenimento (28,1%), seguido por belezas naturais e lugares bonitos (7%), cultura (6,7%), aprendizado e conhecimento (4%) e negócios e trabalho (3,7%). Quase 73% dos belo-horizontinos citaram pontos que poderiam estimulá-los a viajar pelo próprio Estado: 20,4% mencionaram pacotes com custos menores; 19,9% citaram a maior divulgação dos pontos turísticos e 10,5% esperam redução no preço de hospedagem.

Outro aspecto importante é que 80,2% dos entrevistados viajam por conta própria, contra 16,3% que compram pacotes turísticos e 3,5% que saem da capital a trabalho. “Os dados mostram a importância das empresas de turismo se adaptarem ao mercado. As informações gerais estão na internet, por isso é fundamental proporcionar experiências individualizadas aos clientes nos destinos turísticos. Essa é uma tendência mundial e também uma oportunidade para Minas Gerais”, conclui a analista.

A pesquisa da Fecomércio MG mostra que, no momento de buscar informações para a viagem, os parentes e os amigos são referência para 35,8% dos consumidores. Já 33,6% buscam dados na internet, sendo que, desses, 26,7% utilizam as redes sociais, e 77,9% se apoiam nos sites especializados. Em geral, as viagens duram até duas semanas (85,4%).

Postagens Recentes
Fale Conosco

Entre em contato conosco. Retornaremos o mais breve possível.