Comércio e serviços recuperam empregos em Minas

Página Inicial / Notícia / Economia / Comércio e serviços recuperam empregos em Minas

O saldo de empregos formais em solo mineiro apresentou redução de 0,24% em agosto, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Os números divulgados na última quinta-feira (21/09) mostram que 9.445 postos de trabalho foram encerrados no Estado. No entanto, os setores de comércio e serviços foram na direção oposta. Enquanto o primeiro promoveu 196 contratações formais, o segundo admitiu 3.959 pessoas.

O resultado do comércio mineiro, em agosto, só não foi melhor porque 443 vagas no atacado foram fechadas, ante 639 postos de trabalho abertos no varejo. No acumulado do ano, esse setor ainda apresenta um saldo de 9.817 demissões, enquanto o setor de serviços acumula 18.313 admissões. Na soma anual de todos os setores, o Estado registrou 60.484 contratações formais, alta de 1,54% em relação ao ano passado. Porém, no recorte em 12 meses, 25.753 vagas com carteira de trabalho foram encerradas.

O economista da Fecomércio MG, Guilherme Almeida, observa que o Caged de agosto traz boas perspectivas ao Estado, mesmo com a queda na geração de empregos. “Ainda que os números tenham sido pouco favoráveis nesse mês, o resultado foi o melhor para o período desde agosto de 2013. Além disso, o saldo anual acumulado é o maior dos últimos três anos. Isso mostra a recuperação do mercado de trabalho, passo importante para a retomada econômica”, ressalta.

O especialista da Federação ainda aponta para a influência da sazonalidade no mês de agosto, com destaque para as demissões na agropecuária. Só o cultivo de café, por exemplo, foi responsável pelo fechamento de 14.508 postos de trabalho em Minas Gerais.

Empregos no país

No Brasil, o indicador do Caged de agosto apresentou o quinto resultado positivo seguido. Nesse período, o saldo de contratações com carteira assinada chegou a 35.457 novas vagas. Já no acumulado do ano, o país gerou 163.417 empregos formais, embora ainda não tenha recuperado o déficit dos últimos 12 meses, quando 544.658 trabalhadores foram demitidos.

Postagens Recentes