A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) voltou a subir em outubro, após cinco meses sem apresentar recuperação. O indicador, apurado pela Fecomércio MG, com base em pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), atingiu 73,3 pontos, contra os 71,1 observados em setembro. No mesmo mês do ano passado, estava em 66,9. Apesar de permanecer abaixo do nível de satisfação (100 pontos), o índice aponta um crescimento da confiança dos belo-horizontinos no cenário econômico do país e uma pretensão às compras nos próximos meses.

Seis dos sete itens que compõem o ICF apresentaram aumento no período (emprego, perspectiva profissional, renda atual, acesso ao crédito, perspectiva de consumo e momento para duráveis). “Os primeiros sinais de retomada do mercado de trabalho, com a melhoria de indicadores como inflação e taxas de juros, contribuem para aumentar, ainda que moderadamente, o ânimo dos consumidores. A proximidade das festas de final de ano é mais um estímulo para as pessoas irem às compras”, avalia a analista de pesquisa da Federação, Elisa Castro.

De acordo com o estudo, o indicador de perspectiva de consumo assumiu, em outubro, 70,3 pontos, bem acima dos 62,4 apurados no levantamento anterior. Já o item de acesso ao crédito passou de 68,8 para 71, no mesmo período, enquanto o índice de emprego atual – único a figurar na zona de satisfação – saltou de 98,4 para 103,4 pontos. O componente nível de consumo foi o único que registrou retração na passagem de setembro para outubro.

Postagens Recentes