Bloqueio de bens sem autorização judicial é adiado

Página Inicial / Notícia / Jurídico / Bloqueio de bens sem autorização judicial é adiado
A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) alterou a Portaria PGFN nº 33, responsável por regulamentar o bloqueio de bens sem autorização judicial. A nova norma (Portaria PGFN nº 42) adia a previsão de vigência da antiga portaria para o dia 1º de outubro de 2018. Antes, ela estava planejada para primeira quinzena de junho. A Portaria PGFN nº 42 foi publicada no fim de maio, no Diário Oficial da União (DOU).

A norma divulgada anteriormente pela PGFN compreende os artigos 20-B e 20-C da Lei nº 10.522, de 19 de julho de 2002. Ela disciplina os procedimentos para o encaminhamento de débitos para fins de inscrição em dívida ativa da União, bem como estabelece critérios para apresentação de Pedido de Revisão de Dívida Inscrita (PRDI), para oferta antecipada de bens e direitos à penhora e para o ajuizamento seletivo de execuções fiscais.

A PGFN ainda promoveu outros ajustes, como a ampliação do prazo para que o devedor ofereça uma garantia em execução fiscal ou apresente pedido de revisão da dívida de dez para 30 dias. Outro acréscimo feito pelo órgão trata da impossibilidade de a pequena propriedade rural, o bem de família e demais bens considerados impenhoráveis serem alvos da penhora administrativa.

Para mais informações, entre em contato com o Departamento Jurídico da Fecomércio MG pelo telefone (31) 3270-3330 ou pelo e-mail juridico@fecomerciomg.org.br.

Postagens Recentes