Confiança do empresário do comércio tem forte recuo em julho

Página Inicial / Notícia / Economia / Confiança do empresário do comércio tem forte recuo em julho
O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) de Belo Horizonte registrou queda de sete pontos percentuais em julho, totalizando 95,5 pontos, frente aos 102,5 pontos aferidos no mês de junho. Essa é a primeira vez no ano que o indicador fica abaixo da zona de satisfação (100 pontos), no entanto, ainda acima do obtido no mesmo período de 2017 (92,5).

Apurado mensalmente pela Fecomércio MG, com base em dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o Icec aponta as perspectivas em relação ao futuro da economia, do setor comercial e das empresas atuantes. O índice impacta diretamente no desenvolvimento local, influenciando nos investimentos e na geração de novos postos de trabalho.

O economista da Fecomércio MG, Guilherme Almeida, destaca que o índice retornou ao patamar de desconfiança após um primeiro semestre de otimismo. “A proximidade do período eleitoral, somada aos efeitos da greve dos caminhoneiros, foi preponderante para tal resultado. Em um momento delicado como este, os empresários estão postergando os investimentos para o pós-eleição, quando a agenda do candidato eleito já estará definida e haverá menor incerteza quanto aos rumos da economia”, observa.

Ainda de acordo com Almeida, mesmo com indicadores macroeconômicos considerados favoráveis ao consumo, como a queda dos juros e da taxa Selic, as famílias brasileiras continuam endividadas e com perspectivas de crédito fortemente deterioradas, um reflexo da taxa de desemprego, que permanece elevada.

Conforme o estudo, os três itens que compõem o Icec apresentaram redução. O Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (Ieec), que define as impressões em relação ao futuro, caiu de 135,1 pontos, em maio, para 127,8 em julho. O Índice de Investimento do Empresário do Comércio (Iiec), que retrata as projeções para ampliação de estoques, passou de 89 para 87,1, enquanto o Índice de Condições Atuais do Empresário do Comércio (Icaec) despencou de 83,4 para 71,6 pontos.

Postagens Recentes