Varejo da construção deve expandir no 2º semestre

Página Inicial / Notícia / Economia / Varejo da construção deve expandir no 2º semestre
Os empresários do comércio de materiais de construção estão otimistas para o segundo semestre de 2018. Quase 64% projetam expansão das vendas em relação aos primeiros seis meses do ano. É o que mostra uma pesquisa realizada pelo Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Material de Construção, Tintas, Ferragens e Maquinismos de Belo Horizonte e Região (Sindimaco), em parceria com a Fecomércio MG. Além disso, 94,2% confiam na melhora ou manutenção da saúde financeira do negócio.

A análise foi feita na capital mineira e nas cidades de Betim, Confins, Contagem, Lagoa Santa, Nova Lima, Pedro Leopoldo, Ribeirão das Neves, Sabará, São José da Lapa e Vespasiano. Nesses locais, os bons resultados esperados para o semestre devem se converter na geração de postos de trabalho no segmento. O levantamento indica que 92,7% dos entrevistados pretendem manter ou aumentar o quadro de funcionários nesse período, com uma projeção de mais de 280 vagas.

O economista da Federação, Guilherme Almeida, explica que as perspectivas são favoráveis em função de questões macroeconômicas, em especial a previsão de a taxa Selic se manter no menor patamar histórico (6,5%) até o final do ano. “Com isso, os bancos tendem a diminuir os juros, melhorando as condições de financiamento para o consumidor. Como o segmento do comércio de materiais de construção é muito sensível ao crédito, a expectativa para o semestre, de recuperação econômica pautada pelo consumo das famílias, é positiva”, destaca Almeida.  

Promoções e liquidações 

Ainda conforme a pesquisa, 48,4% das lojas registraram um desempenho pior de janeiro a junho em relação aos últimos seis meses de 2017. Por isso, a perspectiva atual é de mudança desse cenário. “O mercado estava retraído no primeiro semestre. No entanto, esperamos uma substancial melhora ao longo dos próximos meses. Para essa reação positiva, o setor aposta em um produto de alta qualidade, além da injeção de recursos na economia, como o 13º salário, e a redução do endividamento dos consumidores”, analisa o presidente do Sindimaco BH e Região, Júlio Gomes Ferreira.

Para 53,8% dos empresários, uma das formas de reverter o quadro atual e confirmar o otimismo para os próximos meses – além de contar com os ajustes na economia – será a realização de promoções e liquidações para atrair os clientes. Já para evitar a inadimplência, 68% não aceitavam mais cheques no mês de realização da pesquisa.

Postagens Recentes