Bancos sobem juros do cartão de crédito e cheque especial

Página Inicial / Notícia / Economia / Bancos sobem juros do cartão de crédito e cheque especial

As instituições financeiras elevaram os juros médios cobrados no cartão de crédito e no cheque especial em dezembro. No entanto, de acordo com o Banco Central (BC), ao analisar o período anual é possível identificar que houve um recuo das taxas cobradas pelo uso das duas modalidades.

O juro médio do cartão de crédito registrou 285,4% ao ano, em dezembro, aumento de 5,6 pontos percentuais em comparação com novembro, quando chegou a 279,8% ao ano. Em 2018, a taxa caiu 46,7 pontos percentuais, visto que em 2017 os juros do cartão fecharam em 332,1% ao ano.

Já as taxas cobradas pelo cheque especial sofreram uma elevação de 6,9 pontos percentuais, chegando a 312,6% ao ano, em dezembro. No balanço anual, houve queda de 10,4 pontos percentuais em relação a 2017, quando somou 323,7% ao ano.

Segundo o economista da Fecomércio MG, Guilherme Almeida, os juros praticados pelos bancos advêm de uma composição de diversos custos, tais como gastos administrativo, risco de inadimplência, margem de lucro, entre outros. “Em dezembro, o aumento nas taxas foi resultado da avaliação das instituições bancárias em relação a maior possibilidade de inadimplência para o período.”

O reflexo das altas taxas afeta diretamente no consumo familiar. “O crédito mais caro torna-se mais restrito, impactando de forma negativa o poder de compra e, consequentemente, toda a cadeia produtiva”, analisa Almeida.

Transparência no uso do cheque especial

Em vigor desde 1º de julho, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) estabeleceu novas regras para o cheque especial. Com as mudanças, os clientes que comprometerem mais de 15% do limite do cheque especial por 30 dias consecutivos passaram a receber a oferta de um parcelamento, com taxa de juros menores.

Para o economista, a tendência é que a longo prazo as mudanças reduzam as taxas cobradas. “Contudo, os juros devem permanecer em altos patamares, em comparação com outras modalidades disponíveis no mercado”, pondera.

Almeida alerta ainda que o uso do cheque especial deve ser evitado, sendo indicado apenas em situações emergenciais, pelo menor prazo possível.

Postagens Recentes