Carnaval deve impulsionar as vendas em BH

Página Inicial / Notícia / Economia / Carnaval deve impulsionar as vendas em BH
O Carnaval em Belo Horizonte se tornou uma das maiores festas populares do Brasil. A expectativa, segundo a prefeitura, é que circulem 4,6 milhões de foliões nos mais de 23 dias de programação (de 16 de fevereiro a 10 de março), 20% a mais que em 2018, quando a festa recebeu 3,8 milhões de pessoas. O fortalecimento da data é motivo de otimismo para a maioria dos empresários belo-horizontinos (63%), que espera um crescimento no volume de vendas superior ao conquistado em 2018. É o que mostra a pesquisa Expectativas para o Carnaval 2019, realizada pela área de Estudos Econômicos e o setor de Negócios Turísticos da Fecomércio MG.

O economista da Federação, Guilherme Almeida, acredita o cenário atual está favorável ao turismo interno na comparação com o Carnaval passado, pois a inflação baixa combinada ao dólar mais caro favorece o aumento no fluxo de turistas nacionais, impactando, principalmente, as atividades econômicas relacionadas aos serviços turísticos, como hospedagem, alimentação e transporte.

A maior parte das empresas ouvidas (80,7%) também espera que o Carnaval de rua na cidade será positivo para o setor de comércio, serviços e turismo da cidade. Em 2018, esse percentual era de 80,2%, mantendo-se estável. A atração de mais turistas (56,3%), o crescimento do movimento (27,7%) e a maior divulgação da festa (12,7%) foram os principais motivos destacados para o otimismo em relação ao período.

A analista de turismo da Fecomércio MG, Milena Soares, ressalta que os empresários devem se planejar para o movimento do período, principalmente, durante o Pré-Carnaval, que gera impacto direto no comércio varejista. “O empresário precisa analisar seu público, ano após ano, e verificar quais são os produtos mais procurados e vendidos, além de estar atento as tendências.”

Funcionamento do comércio 

Durante o período de Carnaval deste ano, 54,4% das empresas entrevistadas estarão em atividade. Entre as que irão funcionar durante as festividades, 72,2% abrirão todos os dias e 65,9% realizaram ou irão realizar algum investimento para a data. As ações que mais se destacam, neste contexto, são o aumento do estoque dos produtos do comércio (45,9%) e o treinamento de funcionários (34,8%).

Dados da CNC

Com todas essas ações, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), estima que Minas Gerais movimente R$ 615,5 milhões com a folia, ficando atrás dos Estados do Rio de Janeiro (R$ 2,1 bilhões) e São Paulo (R$ 1,9 bilhão). Os segmentos de alimentação fora do domicílio, como bares e restaurantes, transporte rodoviário e os serviços de alojamento em hotéis e pousadas responderão por mais de 84% da receita gerada com o maior feriado do calendário nacional.

Sobre a pesquisa

A área de Estudos Econômicos e o setor de Negócios Turísticos da Fecomércio MG realizaram esta análise com o intuito de identificar as expectativas para o período de Carnaval e captar oportunidades de negócios para o comércio varejista. A pesquisa Expectativas para o Carnaval 2019 ouviu empresas de alguns segmentos do comércio varejista impactados pelo período, localizadas em regiões de maior circulação de pessoas durante as festas de rua na cidade, de acordo com a Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur). O questionário foi aplicado para 279 empresas de 17 bairros que compõem as Regiões Centro-Sul, Leste e Oeste entre os dias 1° e 6 de fevereiro.

Crédito da foto: Bruna Tassis Fotografia / Prefeitura de Belo Horizonte

Postagens Recentes