Confiança do empresário tem primeira queda desde agosto de 2018

Página Inicial / Notícia / Economia / Confiança do empresário tem primeira queda desde agosto de 2018
O cenário econômico de incertezas contribuiu para a primeira redução do Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) de Belo Horizonte neste ano. O indicador que vinha em uma escalada de oito meses de alta consecutiva, desde setembro de 2018, reduziu 1,2 pontos, variando de 120,7 pontos, em março, para 119,5, em abril. Apesar da retração, o Icec permanece acima da fronteira do otimismo (100 pontos). O índice é elaborado mensalmente pela Fecomércio MG, com base em dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O economista da Federação, Guilherme Almeida, alerta que os resultados estão relacionados à aprovação das reformas, que, se tardarem, podem, por consequência, comprometer, ainda mais, a recuperação econômica. “A não aprovação desses projetos impacta de forma negativa a confiança do empresário para os próximos meses. Sem a consolidação dessa agenda pautada pelo novo governo, as expectativas para o futuro da economia, do comércio e das empresas, bem como a pretensão de investimentos, tendem a reduzir a cada novo levantamento”, completa.

Dois indicadores que compõem o Icec diminuíram cerca de 2 pontos em abril, impactando de forma geral a análise. O Indicador de Expectativa do Empresário do Comércio (Ieec), que mede as perspectivas para a economia brasileira, para o comércio e para os estabelecimentos, foi de 157,4 pontos, apurados em março, para 155,4 em abril. Já o Índice de Investimento do Empresário do Comércio (Iiec), que avalia, por meio do planejamento para o quadro de funcionários, planos de melhorias e a situação dos estoques das empresas, traçando uma estimativa para o nível de investimento desses negócios, reduziu de 103,1 para 101,1 pontos.

Enquanto isso, o Índice de Condições Atuais do Empresário do Comércio (Icaec), que indica, por meio da percepção do empresário, a evolução das condições da economia do país, do setor e das empresas, além do momento atual dos empresários, manteve-se estável, variando de 101,8 em março, para 101,9, em abril.

Sobre a pesquisa

O Icec reflete as perspectivas em relação ao futuro da economia, do comércio e das empresas atuantes, afetando diretamente decisões relativas ao desenvolvimento local, como investimentos e geração de novos empregos. A pesquisa busca produzir um indicador capaz de medir, com precisão, a percepção que os empresários do setor têm sobre o nível atual e futuro de propensão a investir em curto e médio prazos. É uma ferramenta poderosa para o varejo, fabricantes, consultorias e instituições financeiras, pois o ponto de vista empresarial antecede as vendas do comércio. Os dados do Icec de abril foram coletados nos últimos dez dias do mês de março.

Postagens Recentes