Confiança dos empresários de BH tem pequena alta

Página Inicial / Notícia / Economia / Confiança dos empresários de BH tem pequena alta
Apesar de o país ainda se encontrar em um momento econômico instável, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) de Belo Horizonte variou positivamente pela primeira vez nos últimos cinco meses, alcançando 108,3 pontos. Com isso, o indicador avançou 1,2 ponto percentual (p.p.) em relação ao mês anterior (107,1 pontos). O Icec é elaborado pela Fecomércio MG, com dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Na comparação com o mesmo período do ano passado, o indicador teve uma evolução de 15,5 p.p. Na época, o índice atingiu apenas 92,8 pontos, ficando abaixo da fronteira de satisfação, marcada pelos 100 pontos. A pesquisa Icec reflete as perspectivas em relação ao futuro da economia, do comércio e das empresas atuantes, afetando diretamente decisões relativas ao desenvolvimento local, como os investimentos e a geração de novos empregos.

Apesar do resultado, a economista da Fecomércio MG Bárbara Guimarães alerta para a necessidade de se construir um ambiente político mais favorável à recuperação econômica. “A aprovação das reformas da Previdência e Tributária são essenciais para a melhora da confiança do empresário, que é, por sua vez, uma condição indispensável à retomada dos investimentos no país”, destaca.

Entre os componentes do Icec de agosto, o destaque foi o desempenho do Índice de Condições Atuais do Empresário do Comércio (Icaec). Ele teve alta de 3,5 p.p., fechando o mês com 85,9 pontos. Esse subindicador avalia, por meio da percepção do empresário, a evolução das condições atuais da economia do país e do setor de atuação, além do momento atual do negócio.

Outro item do Icec que variou positivamente no mesmo período foi o Índice de Investimento do Empresário do Comércio (Iiec). Esse subindicador retrata os planos de melhorias no estabelecimento, desde a ampliação de estoques ao quadro de funcionários. Em agosto, o Iiec registrou 95,9 pontos, contra 94,6 no mês anterior, uma variação positiva de 1,3 pontos percentuais.

Por sua vez, o Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (Ieec), responsável por sinalizar as impressões em relação aos próximos meses, teve retração nesse período. O indicador caiu de 144,2 pontos, em julho, para 143,3 em agosto, 0,9 p.p. de variação negativa.

Sobre a pesquisa

O Icec busca produzir um indicador capaz de medir, com precisão, a percepção que os empresários do setor têm sobre o nível atual e futuro de propensão a investir em curto e médio prazos. É uma ferramenta poderosa para o varejo, fabricantes, consultorias e instituições financeiras, pois o ponto de vista empresarial antecede as vendas do comércio. Os dados do Icec de agosto foram coletados nos últimos dez dias do mês de julho.

Ao todo, mil empresários foram entrevistados. A margem de erro da pesquisa é de 3,5%, enquanto o intervalo de confiança é de 95%.

Postagens Recentes