Fecomércio MG apoia criação do Sindsuper-MG

Página Inicial / Notícia / Institucional / Fecomércio MG apoia criação do Sindsuper-MG

Para atender às demandas do setor supermercadista mineiro, foi fundado em assembleia geral nesta quinta-feira, dia 21 de novembro, o Sindicato do Comércio Varejista de Supermercados e Hipermercados do Estado de Minas Gerais (Sindsuper-MG). A reunião foi realizada na sede da Associação Mineira de Supermercados (Amis), em Belo Horizonte. Durante a assembleia, foi aprovado, ainda, o estatuto da instituição e eleita a primeira diretoria da entidade, que terá à frente o empresário Alexandre Poni, com o mandato até 20 de novembro de 2022. Os próximos serão de quatro anos.

A reunião contou com a presença de empresários do ramo supermercadista, membros da diretoria e sindicatos ligados à Fecomércio MG. O próximo passo para a formalização do sindicato será a tramitação do registro sindical da entidade perante o Ministério da Economia.

A Federação vem acompanhando os desdobramentos relativos à criação do Sindsuper-MG desde o início do processo, em 29 de outubro de 2019, quando houve a publicação do edital de convocação para a assembleia de fundação do sindicato. Em conversas com a Amis, responsável pela coordenação do movimento, conseguiu estabelecer um acordo que delimita a atuação do novo sindicato. Assim, as cidades que possuem sindicatos vinculados à Fecomércio MG, responsáveis por representar as empresas de supermercados e hipermercados, não farão parte do eixo de atuação do Sindsuper-MG.

A Fecomércio MG entende que os sindicatos já existentes continuarão representando os empresários da região com excelência, e, com o Sindsuper-MG, será possível ampliar a atuação exclusiva para o segmento. A criação do novo sindicato garantirá não só o fortalecimento da categoria, como também a defesa do comércio supermercadista nas negociações coletivas e dos interesses do empresariado mineiro.

Base sindical

O Sindsuper-MG atuará em todo território mineiro. As exceções serão os municípios assistidos por sindicatos do comércio já organizados. As bases sindicais que não serão representadas pela nova entidade são: Araxá, Barbacena, Cataguases, Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Governador Valadares, Itabirito, Ituiutaba, Juiz de Fora, Lavras, Montes Claros, Patos de Minas, Poços de Caldas, Ponte Nova, Santos Dumont, São João Del Rei, Sete Lagoas, Teófilo Otoni, Uberaba, Uberlândia, Vale do Sapucaí (Albertina, Bom Repouso, Borda da Mata, Brazópolis, Bueno Brandão, Cachoeira de Minas, Camanducaia, Cambuí, Careaçu, Conceição das Pedras, Conceição dos Ouros, Congonhal, Consolação, Córrego do Bom Jesus, Delfim Moreira, Espírito Santo do Dourado, Estiva, Extrema, Gonçalves, Heliodora, Inconfidentes, Ipuiúna, Itajubá, Itapeva, Jacutinga, Maria da Fé, Marmelópolis, Monte Sião, Munhoz, Natércia, Ouro Fino, Paraisópolis, Pedralva, Piranguinho, Pouso Alegre, Santa Rita do Sapucaí, São João da Mata, São José do Alegre, São Sebastião da Bela Vista, Sapucaí-Mirim, Senador Amaral, Senador José Bento, Silvianópolis, Tocos do Moji, Toledo e Wenceslau Braz), Caratinga, Divinópolis, Itaúna, Manhuaçu, Paracatu, Patrocínio, Santa Luzia, São Lourenço, Varginha , Viçosa, Vale do Aço (Coronel Fabriciano, Ipatinga e Timóteo), Betim e Região (Esmeraldas, Igarapé, Juatuba, Mateus Leme e São Joaquim de Bicas), Contagem, Ibirité, Itajubá, Passos, São Gotardo, Unaí, Araguari e Zona da Mata (Além Paraíba, Argirita, Laranjal, Leopoldina, Muriaé, Palma, Pirapetinga, Recreio, Rio Pomba, Rodeiro, Ubá e Volta Grande).

Postagens Recentes