Mais consumidores vão às compras neste Natal

Página Inicial / Notícia / Economia / Mais consumidores vão às compras neste Natal
Há pouco mais de um mês para o Natal, os consumidores já se preparam para ir às compras. Segundo pesquisa da Fecomércio MG, a maioria dos belo-horizontinos (67,7%) deve dar presentes neste Natal, principalmente a familiares (79,5%). Para 38% dos entrevistados, o tíquete médio esperado será de até R$ 200. Já 14,1% dos consumidores planejam desembolsar entre R$ 500 e R$ 1 mil. A data é a mais importante para o setor, envolvendo diversas cadeias de produtos e serviços.

O economista-chefe da Federação, Guilherme Almeida, observa que o resultado indica uma melhora na confiança do consumidor. “O Natal possui grande apelo emocional para os consumidores. Esse fator, somado ao otimismo das famílias em relação às mudanças na economia do país, impacta positivamente nas compras de fim de ano. Mas, ainda assim, é preciso planejar os gastos para não descontrolar as finanças e impactar os compromissos previstos para o início do ano”, destaca.

A análise também aponta que 64,8% dos clientes estão otimistas para o Natal, índice superior ao registrado em 2018 (56,9%). Os produtos mais procurados serão roupas (38,8%), brinquedos (25,0%), calçados (10,8%), perfumaria (10,4%) e joias e acessórios (4,9%). Já os produtos importados serão a opção de 7,7% dos consumidores, que indicam o menor preço (56,3%) e a qualidade superior (37,5%) aos nacionais como fatores determinantes para a compra.

Em relação às compras, a maior parte (67,4%) deve ser feita à vista, no dinheiro ou no cartão de débito, principalmente se houver desconto. Já os pagamentos com o cartão de crédito serão a opção de 21,3%, que preferem essa modalidade devido à opção de parcelamento (53,1%) e planejamento das compras (12,2%). O comércio do hipercentro (44,8%) e os shoppings centers (24,9%) serão os locais preferidos para aquisição de produtos, que devem ser comprados, em sua maioria, entre a primeira (27,6%) e segunda quinzena (44,3%) de dezembro.

Expectativa do comércio

Já em Minas Gerais, dentre 79,5% das empresas impactadas pela data, 53,7% acreditam vender mais no período em comparação ao ano passado. “O otimismo do comércio varejista se deve ao avanço dos indicadores econômicos e medidas recentes do governo, como a liberação dos saques do FGTS, que incrementaram o setor no segundo semestre do ano,” avalia Almeida.

A pesquisa demonstra, ainda, que os 35,5% dos empresários do Estado devem promover promoções e liquidações para atrair os consumidores. Outros 31,8% vão investir em propaganda/divulgação e 13,5% prometem um atendimento diferenciado. A maioria das lojas já recebeu todas as encomendas e está preparada para atender os clientes nas compras do período (32,3%).

Décimo terceiro

A pesquisa da Fecomércio MG também apurou qual será o destino do 13º salário dos consumidores. Neste ano, 46,4% dos belo-horizontinos usarão a renda extra para quitar dívidas, enquanto 15,7% pretendem aplicar o recurso ou guardá-lo para os compromissos em janeiro. Apenas 9,8% dos consumidores afirmaram que irão utilizá-lo para às compras de Natal, percentual menor que o registrado em 2018 (18%). “O recebimento do 13º salário gera conforto para as famílias e tem reflexos no comércio. Até mesmo os valores utilizados para quitar débitos, indiretamente, liberam as pessoas para o consumo”, ressalta Almeida.

Postagens Recentes