Pelo quinto mês consecutivo, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) de Belo Horizonte registrou alta. Em dezembro, ele atingiu 121 pontos, ultrapassando, assim, a fronteira do otimismo (acima de 100 pontos), marca mantida ao longo de 2019. O resultado ainda supera, em 30,2 pontos, o obtido no mesmo período em 2016, sendo o maior valor alcançado nos últimos três anos. O indicador é elaborado pela Fecomércio MG, com base em dados coletados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O cenário positivo para o varejo no segundo semestre foi uma das causas para o bom desempenho do período. “No decorrer dos últimos meses, observamos um crescimento positivo dos indicadores, devido, principalmente, a ações como a Black Friday, o pagamento dos recursos do 13º salário, os saques do FGTS e as compras de Natal. Para atender esse movimento, os empresários buscaram investir, apostando tanto na contratação de empregados quanto na renovação dos estoques”, destaca a economista da Federação, Bárbara Guimarães.

O Icec de dezembro mostrou que todos os subíndices expandiram na comparação com novembro. O Índice de Condições Atuais do Empresário do Comércio (Icaec) – que avalia a evolução da conjuntura econômica do país, do setor e das empresas – avançou 8 pontos, saindo de 91,3 para 99,3. Entre os entrevistados, 55% apontaram melhora nas condições atuais da economia. Esse percentual é maior entre empresas de grande porte, com mais de 50 funcionários (63,2%).

Já o Índice de Investimento do Empresário do Comércio (Iiec) – que retrata os planos de melhoria na loja, de ampliação de estoques e do quadro de funcionários – atingiu 105,9 pontos, frente aos 102,7 registrados no mês anterior. O destaque, nesse subindicador, cabe ao fato de que 73,2% dos entrevistados projetam ampliar o quadro de funcionários e 36,3% consideram que os investimentos na empresa estão um pouco maiores.

O outro item que apresentou elevação, no mesmo período, foi o Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (Ieec), que sinaliza as impressões do setor em relação aos próximos meses. Esse subindicador atingiu 157,9 pontos, resultado diretamente associado à confiança dos entrevistados na melhora da economia brasileira (91,5%), na expansão do setor (91,4%) e no crescimento das vendas da própria loja (93,8%).

Elaborado mensalmente, o Icec é realizado com mil empresários de Belo Horizonte, possui margem de erro de 3,5% e um intervalo de confiança de 95%.

Postagens Recentes