Após mais de dois meses suspenso em virtude do isolamento social, o comércio de Belo Horizonte se prepara para retomar as atividades na próxima segunda-feira (25/05). Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (22/05), a prefeitura de capital autorizou a reabertura parcial dos estabelecimentos comerciais e de alguns serviços na cidade. A Fecomércio MG é favorável à reativação gradual e segura das atividades empresariais em Belo Horizonte.

O intuito da medida, estabelecida pelo Decreto 17.361/2020, publicado no Diário Oficial do Município, é garantir o funcionamento de alguns segmentos em escala, evitando a aglomeração de pessoas no comércio e no transporte público. Além disso, todos os estabelecimentos deverão seguir as normas de distanciamento e as regras de higienização determinadas pelas autoridades da saúde pública.

A presidente interina da Fecomércio MG, Maria Luiza Maia Oliveira, destaca que a reabertura gradual do comércio em BH será bastante positiva para todo o setor de comércio e serviços. Os segmentos que o compõem representam 88,37% dos negócios locais, além de boa parte da arrecadação municipal. Além disso, a flexibilização irá beneficiar toda uma cadeia econômica, produtiva e social.

“A retomada das atividades contribuirá para o restabelecimento de milhares de negócios, principalmente de micros e pequenas empresas, que foram as mais afetadas pela pandemia. Mas, para que ela tenha sucesso, será preciso nos adaptarmos às novas relações de consumo e às exigências desses tempos de enfrentamento a um inimigo comum: o novo coronavírus”, explica.

A preocupação da Fecomércio MG encontra sustentação nos números. A maioria dos estabelecimentos comerciais de Belo Horizonte está enquadrada na categoria de micros e pequenos negócios, que representam a quase totalidade das empresas

do setor terciário na cidade (98,8%). Embora sejam milhares, eles enfrentam mais dificuldades para tomar crédito junto aos bancos, o que agrava a sua saúde financeira e torna inseguro o futuro de milhares de trabalhadores.

“Estamos confiantes que, seguindo as orientações propostas pelo Comitê de Enfrentamento à Epidemia de Covid-19, em breve, novos setores sejam autorizados a retomarem as suas atividades em Belo Horizonte, contribuindo, assim, para restabelecimento do desenvolvimento social e econômico de todo o município”, finaliza Maria Luiza.

Funcionamento escalonado

Por ora, a prefeitura de BH definiu fases para a reabertura do comércio e todos estabelecimentos devem respeitar os protocolos sanitários, como o uso obrigatório de máscaras, a exposição de cartazes educativos e o respeito ao distanciamento social. A fase zero é composta apenas pelo funcionamento de atividades essenciais, como farmácias e supermercados. Já a fase um, que começa a vigorar a partir de segunda-feira (25/05), irá englobar estabelecimentos não essenciais e que possuem menor potencial de aglomeração e circulação de pessoas.

Confira as atividades liberadas para funcionamento, de acordo com o decreto:

· Salões de beleza (exceto clínicas de estética) – funcionamento de 7h às 21h

· Shoppings populares – funcionamento de 11h às 19h

· Comércio varejista de móveis, artigos domésticos, cama, mesa e banho, tecido e afins – funcionamento de 11h às 19h

· Comércio varejista de papelaria, livraria, brinquedos e afins – funcionamento de 11h às 19h

· Comércio varejista de perfumaria, cosméticos e higiene pessoal – funcionamento de 11h às 19h

· Comércio varejista de veículos, peças e acessórios – funcionamento de 8h às 17h

Postagens Recentes