A arte de vender

Página Inicial / A arte de vender

Vender é a incrível arte do nosso dia a dia; por isso, todo bom vendedor pode ser considerado um artista.

Pelo fato de trabalhar na televisão há vários anos, muita gente me pergunta se eu também sou ator, cantor ou apresentador. Eu sempre respondo com orgulho que sou artista, sim, mas um artista das vendas.

A presença do vendedor em todo o processo é decisiva. Nós entendemos de gente.

Temos que nos relacionar com pessoas diferentes todos os dias, entender o que querem e do que gostam. Muitas vezes nem elas mesmas sabem o que desejam; mas nós conseguimos descobrir. Lidamos com gente bem ou mal-humorada, animada ou triste, frustrada ou esperta, criativa ou monótona…, enfim, nos deparamos com todos os tipos de pessoas. Essa relação dá certo porque nós gostamos dessa vida, desse tipo de contato. Essa é a nossa arte.

O vendedor é a engrenagem que coloca em funcionamento toda e qualquer relação comercial. Sem ele nada acontece. A empresa pode ter uma marca consagrada, pontos de venda incríveis, produtos muito bons e campanhas publicitárias milionárias. Mas se a equipe de vendas não estiver preparada, motivada e com garra, os resultados não serão tão bons quanto poderiam (e deveriam) ser. Por isso, é tão importante manter todos com energia e ânimo lá em cima.

Por que é assim?

Por que o vendedor é – e continuará sendo – quem faz o elo entre todas as partes: marca, produto, lojas e clientes. É dessa conexão que surge a faísca do desejo de consumo. Mas, para isso acontecer, precisamos conquistar pessoas todos os dias.

Você pode se questionar: a venda é arte ou ciência?

Eu respondo: arte. A arte de vender requer o aprendizado de uma série de técnicas e o desenvolvimento de talentos que todos nós temos, tudo temperado com muita criatividade. Atenção! Com isso, estou querendo dizer que qualquer pessoa esforçada pode ser boa em vendas e ainda fazer sucesso nessa atividade.

Será mesmo, Bottiniiii?

É comum achar que o bom vendedor já nasce com esse dom. Nada disso. A verdade é que alguns de nós descobrem que possuem esse talento e entendem que ele pode ser trabalhado e utilizado. Esse é o meu caso. Percebi que poderia ser bom em vendas quando precisei “me vender” para ganhar uma vaga de locutor na primeira rádio em que trabalhei. E deu certo! Foi incrível descobrir que tinha valido a pena ser motivado, persistente e determinado. A partir daquele momento percebi que dava para conquistar muitas outras coisas sendo vendedor, mas não como um profissional convencional, que só utiliza técnicas de venda comuns. Escolhi ser um artista das vendas. Esse é o pulo do gato.

Nós não apenas vendemos, nós atuamos. No momento do “show”, além das técnicas, entram em cena certas habilidades fundamentais, como diferentes entonações de voz, movimento gestual, linguagem corporal, um enorme sorriso, humildade, comunicação treinada para convencer, paciência, muito bom humor, atenção ao que diz o interlocutor, vontade de servir e também o olhar atento ao cliente e às reações dele diante do produto. Tudo isso sempre impregnado de inspiração, para fazer a empatia funcionar e a mágica da venda se concluir com um fechamento sensacional: o “gran finale”.

Tenha em mente que não adianta apenas ser um bom vendedor. Vá além e trabalhe para ser um autêntico artista das vendas. Assim o sucesso será uma consequência.

Obrigado pela leitura. Sucesso a todos e muitas vendas.

O site pessoal de Ciro Bottini é o cirobottini.com.br

Ciro Bottini

Fale Conosco

Para dúvidas sobre contribuições patronais, utilize a Área do Empresário no topo da página. Para outras questões, preencha sua solicitação e retornaremos em breve.