Abri uma empresa em sociedade, mas faltam produtos no balcão: e agora?

Página Inicial / Abri uma empresa em sociedade, mas faltam produtos no balcão: e agora?

Você sabia que a cada dez segundos nasce um microempreendedor individual (MEI) no Brasil? Pois, acredite, esse indicador Serasa Experian é realmente impactante. Para se ter uma ideia, até o último dia do primeiro semestre deste ano, o número de MEIs já totalizava 8.551.177 em nosso país.

Recentemente, recebi um convite de um programa de televisão para dar algumas dicas para um empreendedor que abriu um comércio de salgados em sociedade no Rio de Janeiro. Ele já enfrenta alguns problemas típicos de negócios com sócios. Inclusive, começou a faltar salgados no balcão.

Pensando nisso, dou quatro dicas para auxiliar no crescimento e prosperidade de um negócio em sociedade:

1. Atribuições

Quem tem sócio, tem patrão. Parece engraçado, mas vale a pena refletir sobre essa expressão do mundo empreendedor. Quando você é sozinho, único dono, você decide e pronto. Agora, quando você tem sócios, é preciso escutar a outra parte e, somente após um consenso, tomar uma decisão.

A dica é definir as funções e descrever as atribuições que cada um tem no negócio. Assim, você reduz os desentendimentos e evita aquela briga comum, de um achar que trabalha mais do que o outro. Além disso, torna a administração mais ágil e conciliadora.

2. Terceirização

Você já está no limite de produção, mas ainda faltam produtos para ofertar aos clientes que reclamam que vão até a loja e os itens já acabaram? Nesse caso, a terceirização pode ser um caminho a seguir. A terceirização do trabalho é quando uma empresa contrata outra para a prestação de um determinado serviço.

Vale a pena fazer uma rigorosa seleção de um fornecedor que consiga produzir e entregar os produtos com a mesma qualidade que você habitualmente faz. Daí, é só colocar para vender. Dessa forma, você evita a falta de produtos e a perda do cliente, e aumenta o faturamento do seu negócio sem ter que, necessariamente, produzir mais.

É tão difícil para várias empresas ter o cliente na sua porta. Então, quando ele está, elas não podem deixá-lo ter uma experiência negativa em virtude da falta de produto. Talvez, comprando o produto pronto, o lucro seja um pouco menor em cada unidade. O segredo, então, é apostar na venda complementar.

3. Venda complementar

Já reparou como um produto sempre combina com outro? Quando vamos comprar um sapato, o vendedor também oferece a meia; quando compramos um celular, o atendente oferece a capinha, correto? Pois, você pode fazer o mesmo: o cliente comprou um salgado, ofereça a bebida ou a sobremesa, ou seja, dê mais opções para esse consumidor. Várias lanchonetes crescem quando ampliam o mix, aumentam a variedade de itens e criam combos de produtos.

Lembre-se que a maioria das pessoas é visual. Para ser exato, 53% das pessoas são visuais, ou seja, primeiro a gente ‘come com os olhos’. Boas fotos no seu menu e na fachada do seu negócio despertam o interesse de quem consome e ajudam a vender mais itens para um mesmo cliente.

Inclusive, você pode fazer parcerias com aplicativos de entrega para levar o produto onde o cliente desejar, otimizando as vendas e atendendo cada mais longe.

4. Atendimento como diferencial

Antes de vender, é preciso atender com excelência. Já vimos que a competição está cada vez mais acirrada, ainda mais com o aumento da abertura de MEIs a cada segundo. Neste caso, faça do atendimento um diferencial do seu negócio:

a) Treine sua equipe para atuar com empatia e cordialidade. Deixe claro a todos os funcionários qual o comportamento desejado pela empresa, como um ensaio, script ou passo a passo para um ótimo atendimento.

b) Avalie seu pessoal: deixe o cliente dizer o que está achando da sua empresa e do atendimento. Outro dia, fui em uma lanchonete e logo na entrada havia um banner escrito: “Avalie nosso atendimento, envie a sua nota pelo celular”. Por meio do WhatsApp, de forma gratuita, os clientes apontam o que eles gostam e o que precisa ser melhorado. É como se essa ação fosse uma consultoria grátis, onde o cliente ajuda a melhorar e crescer ainda mais o empreendimento.

Pense nisso. Sucesso e ótimos negócios!

* Erik Penna é especialista em vendas e motivação com qualificação internacional, palestrante, consultor e autor dos cursos e livros (www.erikpenna.com.br)

Erik Penna