Menos tempo gasto com cálculos, mais tempo para planejar

Página Inicial / Menos tempo gasto com cálculos, mais tempo para planejar

Apesar de a discussão sobre a relação entre novas tecnologias e mercado de trabalho não ser recente, ela ainda é pertinente, no sentido de propor uma reflexão sobre o “modo de fazer” das profissões, considerando que as mudanças econômicas e sociais trazidas pelo avanço tecnológico são cada vez mais drásticas. Uma das profissões mais antigas da humanidade, a de contador, está vinculada à vocação gerencial e, por isso, está relacionada às tomadas de decisões, sejam elas de ordem econômica, financeira ou social. Nesse contexto, os processos tecnológicos são grandes aliados, e cabe aos profissionais evoluírem em seus métodos de trabalho.

A informatização e a modernização dos processos possibilitam que os contadores gastem menos tempo em atividades manuais e se dediquem mais ao planejamento estratégico. Segundo um levantamento feito pela Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon), as empresas gastaram, em média, 600 horas para calcular e pagar impostos em 2015. O estudo, realizado em parceria com a Receita Federal do Brasil, mostrou que esse tempo caiu em relação a 2013, quando era de 2,6 mil horas/ano, conforme a pesquisa Doing Business, realizada pelo Banco Mundial.

Um dos principais fatores responsáveis por essa redução drástica no tempo gasto é a evolução das tecnologias. Nos últimos anos, governo e empresas atuaram para dinamizar e informatizar seus processos de trabalho, transformando fichas que eram preenchidas à mão em formulários eletrônicos, com dados unificados e integrados. A maior agilidade nos procedimentos também contribui para a melhoria do ambiente de negócios, uma vez que reduz a burocracia e diminui os entraves para investimentos externos.

O Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial) passa a ser obrigatório a partir de janeiro de 2018 para empregadores e contribuintes com faturamento acima de R$ 78 milhões no ano de 2016 e a partir de julho de 2018 para os demais empregadores e contribuintes. Ele representa um desses esforços do Governo em tentar simplificar o cumprimento de obrigações acessórias por meio da tecnologia. O eSocial é integrante do Sped e unifica o envio das informações às instituições governamentais, o que facilita a fiscalização das leis trabalhistas, previdenciárias e fiscais por meio da verificação e do cruzamento eletrônico de dados. Atualmente, o preenchimento e a entrega de formulários e declarações relativas aos trabalhadores são feitos na Receita, na Previdência e no Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), separadamente.

A intensificação do uso dos sistemas informatizados para o lançamento e envio de dados contábeis facilitou o armazenamento dos documentos, uma vez que reduziu o uso de papel e agilizou os procedimentos. Por outro lado, arquivar as informações no próprio computador, em HDs externos, pen drives ou na nuvem e compartilhá-las com outras máquinas potencializou o aparecimento dos crimes cibernéticos. Por esse motivo, as organizações e os contadores devem se atentar aos riscos e adotar medidas preventivas, tais como atualizar regularmente seus sistemas e fazer cópias de segurança, além de alertar os funcionários sobre os riscos da navegação na internet. As novas tecnologias tornaram a contabilidade mais estratégica e o seu uso consciente só tem a somar.

Rogério Marques Noé