Contabilidade é uma área bem especifica e só os especialistas e estudiosos do tema conseguem dominar com facilidade. Mas, para o comerciário que quer se manter sempre informado sobre as atividades da empresa, é importante conhecer do que se tratam alguns termos aplicados nas classificações. Dessa forma, ele conseguirá entender os relatórios contábeis e acompanhar de perto a evolução do negócio. Para ajudar nisso, hoje vamos falar sobre as diferenças entre custos diretos e indiretos.

Custo direto 

O custo direto é aquele capaz de ser atribuído ao produto final com facilidade porque tem ligação direta com ele. Esse tipo de custo não envolve esforço algum para ser identificado. Bons exemplos são matérias-primas, mão-de-obra, serviços contratados para serem aplicados diretamente na elaboração de um produto.  Etc.

Custo indireto

São custos que não podem ser atribuídos a um produto específico e, por isso, precisam ser rateados entre eles. Esse tipo de custo não é identificado tão facilmente como o custo direto. Para ser classificado de forma correta é necessário analisar o contexto em que ele se insere e, a partir dessa análise, segmentá-lo para as despesas inerentes. Exemplos: salários do departamento administrativo da empresa, custos com materiais que fazem a manutenção dos equipamentos (graxas, óleos…), despesas com malotes e materiais de escritórios, etc.

Vale lembrar que a Fecomércio MG possui profissionais capacitados para orientar sobre economia, finanças e contabilidade. Se você precisar de uma consultoria, entre em contato com a nossa equipe.

Postagens Recentes