O consumidor belo-horizontino está mais atento à economia e à importância de poupar dinheiro, mas também pretende ir às compras neste Natal. É o que aponta a Pesquisa de Opinião do Consumidor – Expectativas para o Natal 2014, realizada pela Fecomércio MG. Um pouco antes da chegada do Natal é injetado no mercado o 13° salário dos trabalhadores, o que movimenta a economia e aquece as vendas na maior data do comércio varejista. “Neste ano estima-se que em Belo Horizonte sejam injetados aproximadamente 4 bilhões de reais. Nesse sentido, a pesquisa mostrou que mesmo pagando as dívidas, o consumidor pretende ir às compras, o que é uma tendência verificada ano após ano”, destaca o economista da Fecomércio, Gabriel Ivo.

O estudo demonstra ainda que os homens estão mais preocupados em quitar as dívidas do que as mulheres, uma vez que para eles a ordem das três principais pretensões de gastos com o 13° foi: quitar dívidas (26,5%), aplicar o dinheiro (21,2%) e fazer as compras de Natal (20,4%). Já as mulheres priorizaram as compras de natal (33,1%) e, em seguida, a quitação das dívidas (23,0%) e a aplicação do dinheiro (12,9%). Vale ressaltar, no entanto, que o percentual de consumidores que pretendem aplicar o 13° salário é o maior desde 2008, com 18,2% da pretensão de aplicá-lo. “Isso demonstra um perfil de consumidor mais atento e cauteloso”, explica o economista.

Segundo a pesquisa, 50,7% dos consumidores pretendem utilizar o pagamento à vista (em dinheiro), enquanto 19,3% usarão o cartão de crédito para esse tipo de pagamento. Dos entrevistados, 27,3% irão fazer uso do pagamento parcelado via cartão de crédito.

Pretensão de compra

Na liderança de opções de presente para este Natal, estão as roupas (35,8%), os brinquedos (19,5%) e os calçados (18,8%). Outros itens que estão na lista de compras, mas com uma procura menor são perfumes (6,2%) e smartphones (5,8%).

A pesquisa mostra que os consumidores estão com a intenção de comprar poucos produtos de menor valor (52,1%), ou seja, as famosas lembrancinhas para familiares e amigos, o que terá implicações no ticket médio que o cliente está disposto a gastar. Neste ano a tendência foi a mesma dos dois anos anteriores, em que o valor não ultrapassou R$200,00.

“É importante que o empresário esteja atento às informações contidas neste relatório, pois o tripé ‘preço, atendimento e praticidade’ deverá orientar as compras neste ano. O empresário que estiver atento a esses dados poderá sair na frente dos concorrentes no momento da venda”, conclui Gabriel Ivo.

Metodologia

Foram entrevistados 408 consumidores entre os dias 28 de outubro e 3 de novembro de 2014.

Postagens Recentes