Os empresários de Belo Horizonte estão otimistas em relação ao movimento no setor em dezembro. Segundo a Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista, realizada neste mês pela área de Estudos Econômicos do Sistema Fecomércio MG, 68,2% dos donos de estabelecimentos da capital esperam um faturamento melhor em relação a novembro, e apenas 5,6% esperam queda.

O otimismo, conforme o economista da Fecomércio MG Gabriel Ivo, é reflexo das expectativas para as vendas de Natal, e o comércio está se preparando para impulsionar as vendas: 69,3% dos empresários afirmaram que farão liquidações ou promoções neste mês. “O fim do ano é um momento bom para os dois lados do mercado. O consumidor deve ficar atento às oportunidades de aliar preço e qualidade, otimizando seu poder de compra, enquanto o empresário consegue girar os estoques dos artigos e fortalecer o caixa da empresa para a compra do novo mix de produtos”, analisa.

Para evitar perder vendas, 11,9% dos varejistas aumentaram o volume dos pedidos em novembro, na expectativa de um mercado movimentado em dezembro. Além disso, 72,1% dos varejistas afirmaram estar com estoques prontos no início deste mês para atender às demandas.

Novembro X Outubro

A Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista da Fecomércio MG também avaliou o desempenho do comércio em novembro, em relação ao mês anterior. Para 44,2% dos empresários entrevistados, o faturamento de novembro foi melhor do que o de outubro; para 33,3% ele não se alterou e 22,5% apontaram queda.

Sobre o faturamento de novembro deste ano em relação aos seis últimos meses, 30% dos entrevistados tiveram um faturamento melhor, 38,8% ficaram estáveis e 31,2% tiveram uma piora no faturamento.

O setor de vestuário é o principal nicho de mercado entre os empresários que responderam aumentar o faturamento de outubro para novembro, com 9,2%. Mas, ao mesmo tempo, foi o que apontou maior queda, com 4,6%. “A heterogeneidade de atividades do comércio varejista proporciona diferentes ritmos de negócios, até mesmo dentro dos próprios segmentos de mercado. Acredita-se que os impactos sazonais são tratados de forma diferenciada, o que afeta diretamente o posicionamento estratégico e as análises prospectivas empresariais”, explica Gabriel Ivo.

Metodologia

Na Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista da Fecomércio MG, foram entrevistados 383 empresários do varejo de Belo Horizonte, entre 1º e 4 de dezembro de 2014. O método utilizado para a seleção das lojas foi definido com base no cadastro da área de Estudos Econômicos do Sistema Fecomércio MG.

Postagens Recentes