Após quase 11 anos crescendo a uma taxa média de 4,4%, o consumo das famílias parou de subir no Brasil. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE, o indicador teve leve alta de 0,3% no terceiro trimestre na comparação com os três meses anteriores, a pior desde o terceiro trimestre de 2008, quando foi registrada retração de 2%, e de 0,1% comparado com o mesmo período de 2013.

Segundo o IBGE, o pequeno avanço do índice foi afetado pela combinação de fatores como inflação, juros mais altos e desaceleração no crescimento da renda. Para o economista da Fecomércio MG Caio Gonçalves, o consumo foi a variável que mais amparou o crescimento econômico brasileiro nos últimos anos. “Porém, como não é possível sustentar uma economia apenas com consumo por um longo tempo, os efeitos da redução dessa variável apareceram no PIB. Esse cenário retoma a discussão do papel dos investimentos na economia, algo que deverá ser tratado para a retomada do crescimento econômico no Brasil”, avalia.

Postagens Recentes