As famílias brasileiras pouparam menos neste ano. Esse comportamento, associado a outros fatores como a taxa de juros e a diminuição do crédito afetarão o consumo no início de 2015.

A captação líquida da caderneta de poupança totalizou R$ 18,6 bilhões no acumulado até novembro de 2014, valor quase 70% inferior, comparado ao mesmo período do ano passado. Essa redução aconteceu porque as retiradas cresceram a uma velocidade superior à dos depósitos, indicando que as famílias usaram o que pouparam no passado para financiar gastos do presente.

Os recursos das famílias não foram direcionados para fundos de investimento, onde houve menor captação líquida – apenas R$ 14,3 bilhões até novembro, ante R$ 58,3 bilhões em igual período de 2013 e R$ 114,4 bilhões em 2012.

De acordo com o economista da Fecomércio MG Caio Gonçalves, a redução da poupança é apenas mais um dos indicadores que podem fazer com o consumo reduzir no próximo ano. “Isso contribui ainda mais com a expectativa de uma demanda contida para o início de 2015 e, consequentemente, a atividade do comércio varejista pode ser afetada negativamente”, diz.

Postagens Recentes