A analista de Turismo da Fecomércio MG, Mariana Lima, participou da Bolsa Internacional de Turismo (BIT), encontro internacional do setor, realizado este mês, na Itália, de onde trouxe algumas percepções interessantes.

No setor alimentício, a Itália já abre as portas para os visitantes conhecerem desde a matéria prima, o modo de fazer e a maneira como os produtos são industrializados, quando é o caso, até o processo de varejo. Por meio de oficinas, é possível aprender a fazer seu próprio produto – queijos, vinhos, pães e massas – e levá-lo para casa depois de pronto.

Ela notou que o mercado italiano tem investido cada vez mais no turismo de experiência. Na BIT, os expositores se preocuparam em agregar valor aos seus produtos ao destacar que somente na Itália seria possível aos interessados vivenciar uma experiência exclusiva como aquela.

Para a analista, o Brasil tem muito a aprender com os italianos tanto na diversificação de produtos quanto na forma regionalizada de venda, que prioriza as regiões do país, ao invés de uma única cidade.

Postagens Recentes