O varejo está relacionado ao setor terciário da economia e, por ser muito dinâmico, faz-se necessária a constante atualização e capacitação dos atuantes desse segmento.

Com essa finalidade de reciclar conhecimentos e buscar novos métodos de trabalho, tem sido frequente o investimento da Fecomércio MG na capacitação dos empresários mineiros. Ele tem se dado através de cursos promovidos pela própria instituição e em parcerias com o Sebrae MG, além de outros órgãos, viabilizando a participação em missões e eventos internacionais. Dentre esses eventos, destaca-se a Feira da National Retail Federation (NRF), a Retail´s Big Show que é o maior evento do varejo do mundo e acontece anualmente em Nova York, no qual a Fecomércio MG participa desde 2011. Envolver-se em tais ações têm, por objetivo, enriquecer o conhecimento, compartilhar informações e atualizar sobre as novas tendências, visando serem aplicadas nas empresas, aprimorando o mercado mineiro e, consequentemente, o nacional.

Uma das pautas mais discutidas pela NRF e em outros eventos do ramo tem sido o varejo online, por oferecer maior comodidade e também melhoria na gestão do tempo durante as compras, motivo pelo qual as lojas físicas vêm perdendo espaço. Cada vez mais a tecnologia se desenvolve e oferece mais opções aos consumidores, acirrando assim, a concorrência no mercado.

Segundo a Forbes (2014), “os consumidores de hoje levam uma vida agitada e comprar leva tempo. Frequentemente é uma tarefa na qual os consumidores acham mais conveniente pesquisar e comprar via web do que em lojas físicas. Embora as visitas nas lojas possam ser divertidas por diversos aspectos, as compras online ou através de um dispositivo móvel oferecem uma pesquisa mais abrangente que pode ser realizada do sofá, depois que as crianças estão na cama ou através de um celular, durante um momento de tranquilidade na hora do almoço ou em movimento”.

De acordo com os representantes da Fecomércio MG, Sebrae MG e empresários participantes da NRF deste ano, o foco principal foi na área da Tecnologia da Informação e abordou-se o perfil de um consumidor mais voltado para as mídias sociais, sugerindo a presença das duas modalidades no varejo. O que se constata é que não há uma preferência direta por um ou por outro, mas sim uma junção dos dois. As lojas físicas tendem a ser mais seguras, no entanto, nas lojas online é possível consultar avaliações e recomendações de outros clientes, bem como fazer um comparativo de preços rapidamente. E as empresas que atuam nessas duas modalidades tendem a possuir maior credibilidade com o consumidor.

A participação em eventos desse porte permite compartilhar novas técnicas, ampliando os horizontes, o que estimula o desenvolvimento de novas tecnologias. Mas é válido ressaltar que em um mundo globalizado com diversas nações e culturas é necessário adaptá-las ao mercado interno, considerando a cultura e a realidade momentânea do país. Em outras palavras, é preciso que o empresário mineiro avalie o que realmente é importante para adotar como estratégia de mercado, tendo foco na sua proposta de atuação mercadológica e no perfil de seu cliente. Conhecer bem as suas capacidades de oferta e seu mercado consumidor é um diferencial que alinhado à tecnologia, possibilita ao empresário uma atuação mais competitiva no mercado.

Juliana Peixoto Chaves Gomes
Analista de Comércio Exterior da Fecomércio MG

Postagens Recentes