Mais da metade (54,2%) da população brasileira acessa a internet segundo dados do site e-commerce, seja em casa, no trabalho ou na escola. Assim como a proporção de usuários, o faturamento como comércio eletrônico cresce a cada ano. Nem mesmo a desaceleração da economia sofrida desde meados de 2013, fez com que as vendas nessa modalidade recuassem.

Minas Gerais é o terceiro Estado em visitação a sites e participação na receita gerada pelo comércio eletrônico no país.

Perfil do consumidor brasileiro

Em um mercado crescente é importante que o empresário conheça o perfil de seus clientes, saiba quais são os produtos mais consumidos, o ticket médio e as formas de pagamento utilizadas.

A maioria dos indivíduos que adquiriram produtos e serviços pela internet nos últimos 12 meses era da região sudeste e sul do país. Da proporção total de compradores, 65% possuem ensino superior e realizam suas compras online via cartão de crédito. Houve uma elevação na proporção de pessoas da classe C no e-commerce, mas a predominância ainda é das classes A e B.

A categoria de vestuário e acessórios de acordo com a E-bit, liderou as vendas no e-commerce em 2014, com 18% do volume total de pedidos, seguida de cosméticos e perfumaria (16%) e eletrodomésticos (11%).

No e – commerce, as vendas tiveram um expressivo aumento de participação no total das vendas eletrônicas no primeiro semestre de 2014, subindo de 3,8%, em junho de 2013 para 7%, em junho de 2014, representado um crescimento de 84% em um ano.

A previsão é de que essa participação tenha chegado próximo aos 10% no final de 2014. Ainda de acordo com a E-bit, o faturamento das transações realizadas por dispositivos móveis no Brasil mais que dobrou, em comparação com o mesmo período em 2013, representando R$1,13 bilhão – diante dos R$560 milhões do ano anterior, uma variação de 102%. De janeiro a junho de 2013, foram feitos 1,278 milhão de pedidos, número que no mesmo período de 2014 chegou a 2,890 milhões.

Postagens Recentes