O profissional capacitado é um dos pilares para o desenvolvimento sustentável da cadeia produtiva do turismo. Nesse sentido, visando orientar estrategicamente as ações voltadas para a formação profissional no cenário brasileiro, o Ministério do Turismo (Mtur) divulgou, no dia 3 de março, as Diretrizes Nacionais para Qualificação em Turismo.

Feito em parceria com a Universidade de Brasília, a versão final do documento é resultado de cinco estudos que mapearam a situação da qualificação do país, contemplando a visão do mercado, práticas de formação e modelos adotados em outros países, além das novas exigências prospectadas pela trajetória futura do turismo.

No diagnóstico preliminar, que apresentou as expectativas e experiências de 39 “atores” do trade turístico brasileiro, percebeu-se a necessidade de integração entre poder público e privado, do incentivo das empresas na formação da qualificação de pessoas – principalmente no nível técnico-operacional –, e do alinhamento de cursos ofertados adequados às demandas do mercado.

Entre as ações propostas para elevar a qualificação de trabalhadores, gestores públicos e privados, empresários e empreendedores brasileiros, está a adoção de cursos em diversos formatos: a distância, presencial e semipresencial, fora ou no próprio ambiente de trabalho, em conformidade com a demanda e as características de cada destino ou atrativo turístico.

De acordo com o Núcleo de Turismo da Fecomércio MG, a publicação é importante para o aprimoramento da academia que possui cursos de turismo no país, visando a formação de profissionais competentes, que estimulem o crescimento da atividade. É esse fator que contribuirá para a evolução da atividade no cenário mundial e o aumento da participação do turismo no Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

Postagens Recentes