O economista Caio Gonçalves representou a Fecomércio MG no WTC Business Fórum Fusões e Aquisições, na última quinta-feira (12). O evento contou com a participação de especialistas da área e de empresários.

Foram discutidas características gerais de fusões e aquisições brasileiras e específicas de Minas Gerais, e aspectos como a participação da indústria bancária local e a maturidade das empresas em realizar negócios desse tipo. Além disso, foram debatidos desafios do processo, a exemplo da questão regulatória e da melhoria da governança nas empresas.

Um tema fortemente destacado no fórum foi o papel da informação, a relevância de antecipar, conhecer e preparar a mesa de negociações, bem como a necessidade de ter estudos e clareza na hora de negociar.

Os especialistas descreveram as fusões e aquisições recentes que têm acontecido fora do eixo São Paulo-Rio e setores direta ou indiretamente relacionados com o consumo, como o varejo e a mineração, respectivamente. Outros setores foram elencados, como as empresas de Tecnologia da Informação (TI), serviços e startups, ressaltando a atratividade dos negócios.

Também integrou a pauta fatores da conjuntura macroeconômica brasileira, além dos desafios relacionados à falta de perspectiva de melhorias na regulação brasileira, como reformas tributárias e códigos de regulamentação de setores específicos, que adiam e desestimulam investimentos.

“Em um ano de desafios, sempre surgem oportunidades e destaca-se aqui a capacidade dos brasileiros em enfrentar crises; mas o país tem que assumir o papel de esclarecer a situação brasileira para os investidores externos. Apesar da conjuntura atual, foi levantada a questão de que eles estão interessados na taxa de retorno e nas opções de saída do capital, e que se isso ficar claro os negócios não serão prejudicados”, relata Caio.

Postagens Recentes