O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado o índice oficial de inflação do Brasil, apresentou variação de 1,22% em fevereiro (semelhante à de janeiro, que foi de 1,24%). Os dois primeiros meses de 2015 apresentaram um índice de 2,48%, número acima do registrado em igual período de 2014, que ficou em 1,24%. Nos últimos 12 meses a taxa foi para 7,70%, a mais elevada desde maio de 2005, quando atingiu 8,05%.

Segundo o economista da Fecomércio MG Caio Gonçalves, a taxa subiu mais do que o esperado e, por isso, os preços continuam pressionados. “Devido aos efeitos da variação de fevereiro, nos próximos meses a economia estará mais sensível, principalmente com o aumento da tarifa de energia elétrica e a alta do dólar, beirando os R$ 3. Em contrapartida, percebemos uma redução dos preços em alguns setores, com destaque para o de alimentos. Dessa forma, é possível que esse efeito reequilibre para uma variação menor de preços no mês de março. O acumulado, no entanto, ainda estará acima do desejado”, analisa.

O IPCA é medido mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e tem como objetivo monitorar a variação dos preços no comércio para o consumidor final.

Postagens Recentes