Podem ser considerados atrativos turísticos os fenômenos culturais, naturais e sociais que, quando trabalhados como produtos, motivam o deslocamento de pessoas para conhecê-los. Saber diferenciar os tipos de atrativos é de fundamental importância para a cadeia produtiva, pois é a partir deles que é feito o planejamento do turismo,  que envolve o  fomento do comércio de bens e serviços. Conheça um pouco mais sobre cada um destes principais atrativos.

Lazer e Entretenimento: turismo estimulado por parques de diversões e temáticos, clubes, pistas de patinação, estádios, ginásios e quadras, hipódromos, autódromos, mirantes, boates, casas de shows, espetáculos, pistas de boliche, parques agropecuários, entre outros.

Negócios/Eventos: o Turismo de Negócios e Eventos compreende um conjunto de atividades profissionais que geram interesse comercial, promocional, institucional e científico-social. Este elo da cadeia produtiva contribui para a promoção de networking e fechamento de novos negócios e ajuda a fomentar o comércio de bens e serviços que cercam os locais de realização.

Realizações técnico-científicas e artísticas: diz respeito às obras e instalações capazes de motivar o interesse dos turistas, como museus, aquários, observatórios etc.

Manifestações culturais: trata-se de eventos culturais e folclóricos, que estimulam a visitação de turistas interessados em adquirir novos conhecimentos. Artesanato, gastronomia, celebrações culturais, manifestações artísticas, entre outros, são alguns exemplos.

Atrativos artificiais: são aqueles atrativos criados e/ou modificados pelo homem, como shoppings, resorts e hotéis de luxo que abrigam paisagens artificiais e parques aquáticos.

Atrativos naturais: formados por montanhas, dunas, cachoeiras, ilhas, rios, flora, fauna, o que envolve o estado natural do ambiente.

Fonte: Ministério do Turismo – Programa de Regionalização do Turismo/ Equipe do Núcleo de Turismo da Fecomércio MG.

Postagens Recentes