A taxa de desemprego atingiu, em julho de 2015, 7,5% para o conjunto das seis regiões metropolitanas pesquisadas* pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), índice 0,6 ponto percentual (p.p.) superior ao mês de junho e 2,6 p.p. maior ao observado no mesmo mês de 2014. As informações são da Pesquisa Mensal do Emprego, divulgada no dia 20 de agosto.

“Foi registrado um aumento do número de pessoas procurando emprego, especialmente aquelas que se situavam na chamada população inativa, como estudantes recém-formados em busca de uma colocação ou que estavam obtendo o rendimento de alguma outra forma”, explica o economista da Fecomércio MG, Guilherme Almeida.

Outro indicador do desaquecimento do mercado de trabalho foi a queda no rendimento dos trabalhadores, que chegou a R$2.170,70, montante 2,4% menor que o apresentado para o mesmo mês de 2014. “Todo esse movimento é resposta do cenário adverso. A queda no rendimento se deve ao crescimento da inflação, que no acumulado em 12 meses está em 9,56%. Outro fator importante que fundamenta esta diminuição é o salário dos admitidos no setor formal, que está cada vez mais baixo”, explica Almeida.

Em Belo Horizonte, o índice de desocupação chegou a 6,0% em julho, 0,4 p.p. maior que o observado em junho e 1,9 p.p. a mais do que o mesmo período de 2014. O rendimento médio real da capital acompanhou a tendência nacional, tendo retraído 2,9% na comparação anual.

*As seis regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE foram Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

Postagens Recentes