O governo federal anunciou a criação de uma linha de crédito emergencial para as pequenas e médias empresas para financiar o pagamento de salários por dois meses. A União disponibilizará o valor máximo R$ 20 bilhões por mês, totalizando R$ 40 bilhões. O anúncio foi feito hoje (27/03), no Palácio do Planalto, pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, e pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

A iniciativa faz parte de um pacote de medidas econômicas adotadas pelo Poder Executivo Federal para minimizar os impactos do avanço do novo coronavírus no Brasil. Até o momento, já foram contabilizados 3.036 casos confirmados da doença, sendo 77 óbitos.

A operação do programa será feita em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e os bancos privados. O objetivo é cobrir o pagamento salarial por dois meses. No entanto, a quantia será limitada a dois salários mínimos por funcionário.

Nos casos em que o funcionário ganha mais de dois salários, ficará a critério da empresa complementar ou não a diferença. Além disso, quem optar pela linha de crédito não poderá demitir o empregado durante o período. A expectativa é que o financiamento esteja disponível em uma ou duas semanas.

Conheça os requisitos para solicitar o empréstimo e as condições de pagamento:

1. O financiamento será disponibilizado apenas para empresas com faturamento entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões por ano;
2. O dinheiro será exclusivo para o pagamento salarial;
3. Os juros serão de 3,75% ao ano;
4. A carência ficará entre 6 a 36 meses para pagar o empréstimo.

De acordo como presidente do Banco Central, a previsão é que 1,4 milhão de pequenas e médias empresas do país sejam beneficiadas pela medida. Ainda segundo a instituição, esses negócios empregam 12,2 milhões de pessoas.

* Com informações do Portal G1

Postagens Recentes