Há pouco mais dois meses, em Wuhan, na China, surgia uma nova doença, que recentemente foi declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma pandemia. Trata-se do novo coronavírus (Covid-19), responsável por 173.344 casos confirmados em 152 países e territórios. Em virtude disso, a Fecomércio MG, seguindo orientações da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), traçou uma série de medidas preventivas a serem adotadas por empresários do setor terciário e sindicatos representados em Minas Gerais.

Apesar das incertezas e apreensões causadas pelo coronavírus, a Fecomércio MG acredita que o momento exige cautela e que alarmismos devem ser evitados. As entidades ligadas ao comércio – em Minas Gerais e no Brasil – estão atentas aos desdobramentos do caso, bem como aos impactos humanos e materiais da disseminação do vírus, que estão sendo dimensionados.

Da transmissão aos sintomas

O Covid-19 é transmitido por gotículas de secreções (como o muco nasal), seja por meio de tosse ou espirro, ou pelo contato com superfícies contaminadas, levando-se as partículas ao nariz ou à boca a partir das mãos.

O período de incubação da doença pode durar até 14 dias. Os sintomas mais comuns são: febre, tosse seca ou com secreções espessas, fadiga, falta de ar, dor articular, dor de cabeça e nariz congestionado.

Cuidados preventivos

Para se evitar a propagação da doença, que já possui casos de transmissão comunitária no Rio de Janeiro e em São Paulo, é preciso engajamento de toda a sociedade. Os empresários do comércio de bens, serviços e turismo podem colaborar implementando os seguintes cuidados em seus estabelecimentos:

• Verificar se os locais de trabalho estão limpos e higienizados. Superfícies como pisos, corrimão, mesas, cadeiras, além de telefones, maçanetas e teclados precisam ser limpos regularmente com hipoclorito de sódio a 1% ou álcool a 70%, uma vez que a contaminação em superfícies é uma das principais maneiras pelas quais o Covid-19 se espalha.
• Estimular e orientar trabalhadores, clientes e colaboradores sobre a necessidade de se lavar as mãos com água e sabão de forma regular e completa, ensaboando até o punho e esfregando os dedos entre as palmas das mãos.
• Disponibilizar dispensadores de álcool gel/higienizadores de mãos em locais de destaque, acessíveis no local de trabalho, e certificar-se de que sejam recarregados regularmente.
• Exibir cartazes e informes orientando sobre a lavagem adequada das mãos com água e sabão ou a higienização com álcool a 70%. Além disso, identificar os locais para a lavagem com água e sabão, que é a principal medida para se evitar a doença.
• Orientar sobre a etiqueta respiratória ao tossir ou espirrar, usando sempre a curva interna do cotovelo, cuidado que ajuda a impedir a propagação do Covid-19.
• Estimular as equipes de profissionais de saúde e segurança ocupacional para orientar e adotar ações de educação em saúde e medidas de prevenção (como a produção de materiais informativos), principalmente quanto à lavagem das mãos e a higiene respiratória.
• Garantir aos profissionais e colaboradores com sintomas do Covid-19 o afastamento e a licença médica.

A Fecomércio MG orienta os empresários do setor terciário a manterem equipes e colaboradores informados com base em fontes seguras, tais como o Ministério da Saúde, as Secretarias Municipal e Estadual de Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OMS). Outras informações também podem ser obtidas por meio do Disque Saúde (136), do governo federal, ou pelo (21) 3804-9230, telefone de atendimento ao empresário disponibilizado pela CNC.

SAIBA MAIS

Postagens Recentes