Com a proposta de reativar a economia e preservar vidas, o programa “Minas Consciente” vem definindo estratégias de atuação no Estado. Na última quarta-feira (06/05), as macrorregiões de saúde Centro, Leste do Sul, Nordeste e Noroeste avançaram da onda verde para a branca, estendendo a abertura a um segundo grupo de atividades. A decisão, do Comitê Extraordinário Covid-19, considerou, entre outros critérios, a taxa controlada de ocupação de leitos.

Com a mudança, os municípios que fazem parte dessas localidades e aderiram ao programa estão habilitados a retomar as atividades de baixo risco, além dos serviços essenciais já previstos. Na onda branca, estão incluídos o comércio de antiguidades e objetos de arte, armas e fogos de artifício, artigos esportivos e eletrônicos, floriculturas, móveis, tecidos e afins, bem como outras atividades acessórias (como direito, contabilidade e terceirização).

O governador Romeu Zema destaca a necessidade de organizar o isolamento para que a população se adapte à realidade imposta pelo novo coronavírus. “A saúde dos mineiros sempre será a nossa principal preocupação no controle da pandemia. O ‘Minas Consciente’ é um plano de isolamento controlado, que busca iniciar uma nova normalidade, considerando fatores econômicos, mas tendo a saúde como pilar fundamental.”

Até o momento, as regiões Centro-Sul, Jequitinhonha, Leste, Norte, Sudeste, Sul, Triângulo do Norte, Triângulo do Sul e Vale do Aço ainda não apresentam índices favoráveis para o avanço dos protocolos de abertura de novos setores. Sendo assim, para preservar a vida da população e a capacidade de atendimento do sistema de saúde, os municípios dessas regiões estão orientados a permanecer na onda verde.

Antes de reabrir a empresa, o empresário deve consultar se o seu município optou por seguir o protocolo do governo estadual. Neste programa, a reativação das atividades econômicas foi classificada de forma progressiva em quatro “ondas”, sendo elas: verde (serviços essenciais), branca (baixo risco), amarela (médio risco) e vermelha (alto risco)

Há ainda uma lista de segmentos que, devido ao grande risco de propagação do vírus, só poderão retomar após normalização do surto da doença no Brasil. Entre essas atividades estão casas de shows e eventos, shopping centers, escolas e serviços públicos administrativos

Para saber mais sobre o programa, acessar os protocolos e conferir a classificação de cada segmento, acesse www.mg.gov.br/minasconsciente/empresarios.

* Com informações da Agência Minas

Postagens Recentes