*Jéssica Andrade – Coordenadora de Comunicação da Fecomércio MG

A pandemia do novo coronavírus tem modificado o mundo, inclusive a comunicação. Ela tem passado por transformações significativas devido à sua importância e empregabilidade. Nos últimos meses, as medidas de isolamento colocaram em evidência a tecnologia como ferramenta essencial para a interação e o acesso à informação. Mas, como essa comunicação tem sido realizada pelas empresas? Devemos manter as mesmas estratégias do período pré-Covid-19?

A pandemia fez surgir um novo termo: a desinfodemia. Ele foi criado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), e é definido como “desinformação básica sobre a doença de Covid-19”. A ONU considera as fake news sobre o novo coronavírus a mais letal das desinformações. Por isso, diante desse cenário, marcas, empresas e instituições públicas e privadas possuem o dever de se comunicar de forma clara e ágil.

Nesse contexto, a adoção das redes sociais e de plataformas on-line nos negócios parece se consolidar. Se a sua empresa ainda se encontra fora do ambiente virtual, é hora de iniciar esse trabalho. Com o isolamento, que limitou o funcionamento do comércio, e o trabalho home office, a internet se tornou a principal alternativa para se informar e, claro, adquirir produtos e serviços.

Outra exigência da comunicação nesses novos tempos está na agilidade e na transparência no repasse de informações para os públicos de interesse. Essa atitude é válida para transmitir orientações sobre o Covid-19, instituir ações compartilhadas para o controle da doença, informar sobre o funcionamento da empresa e construir uma relação mais próxima entre a marca e seus clientes.

Para estabelecer esse vínculo, é preciso criar estratégias que promovam identificação com o público. Mas, frente ao delicado momento, que envolve uma crise global, as empresas também devem elaborar conteúdos que criem empatia e auxiliem as pessoas. Uma dica é fornecer produtos e/ou serviços gratuitos como forma de ajudar seu cliente nesse período e assim fidelizá-lo.

Já para as empresas que, devido ao Covid-19, passaram ao teletrabalho, a comunicação entre os colaboradores é um novo desafio. É preciso considerar que a interação a distância geralmente não flui como a comunicação interpessoal presencial, ainda mais para quem não está habituado a isso.

Diante desse quadro, a empresa precisa pensar em artifícios para manter o colaborador próximo e bem informado sobre as ações da corporação. Que tal criar uma campanha com dicas leves sobre o novo coronavírus ou realizar reuniões por videoconferência? Assim, a empresa irá compartilhar dados corretos sobre o Covid-19, mantendo o colaborador ciente dos cuidados a serem tomados.

O Covid-19 evidenciou a necessidade de termos mais zelo em relação à comunicação e proporcionarmos, de forma rápida, o acesso à informação correta e de qualidade. Só ela é capaz de nutrir relações, fortalecer marcas e, neste período, incentivar as vendas e a sustentabilidade de um negócio.

Postagens Recentes