Os efeitos da crise causada pelo novo coronavírus (Covid-19) provocaram um recuo histórico no índice que mensura a intenção de compras na capital mineira. Em maio, a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) em Belo Horizonte recuou 17,4 pontos percentuais (p.p.), atingindo 75,6 pontos, contra 93 pontos registrados no mês de abril. O ICF é elaborado mensalmente pela Fecomércio MG, com dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Influenciado pelos impactos econômicos da pandemia, o indicador chegou ao segundo resultado mensal negativo consecutivo. Assim, o ICF permanece no nível de insatisfação em termos de emprego, renda e capacidade de consumo, ficando abaixo da linha dos 100 pontos, fronteira que sinaliza o otimismo do consumidor.

“Esse cenário reflete a paralisação das atividades, a redução na renda das famílias e o desemprego. Recentemente, Belo Horizonte perdeu mais de 20 mil postos de trabalho formal, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. Diante desse cenário, os consumidores da capital acabam menos propensos às compras ou optando apenas por itens essenciais,” explica a analista de pesquisa da Fecomércio MG, Letícia Marrara.

O resultado mensal foi influenciado pela retração de todos os itens que compõem o ICF: emprego atual (de 116,0 pontos em abril para 96,0 em maio); perspectiva profissional (de 103,0 pontos para 82,5); renda atual (de 108,1 para 88,9); acesso ao crédito (de 94,3 pontos para 77,0); nível de consumo (de 66,4 pontos para 54,5); perspectiva de consumo (99,7 pontos para 84,7) e intenção de consumo de bens duráveis (de 63,7 para 46,0).

A analista de pesquisa alerta que o cenário não está favorável para os consumidores e nem para os empresários. “É necessário agir com cautela, pois o momento é de ajustes e de retração. O consumidor precisa organizar suas contas e ficar atento para não perder o controle de sua renda. Em contrapartida, o empresário deve focar nas ações que possam atrair os clientes, como delivery, promoções e mix de produtos mais baratos”, avalia.

A pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) é um indicador capaz de medir, com precisão, a avaliação que os consumidores fazem, mês a mês, sobre aspectos relacionados à condição de vida de sua família, tais como a capacidade e qualidade de consumo atuais e de curto prazo, o nível de renda doméstico e a segurança no emprego.

Postagens Recentes