Após quatro meses, desde que foi decretada a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o retorno de diversas atividades começa a ser efetivado em Minas Gerais. Com a proposta de reativar a economia e preservar vidas, o programa “Minas Consciente” vem definindo estratégias de atuação no Estado, garantindo o retorno seguro e gradativo de centenas de atividades comerciais.

Não por acaso, a partir de amanhã (25/07), após a publicação da decisão no Diário Oficial, as macrorregiões de saúde Leste do Sul e Triângulo do Sul poderão avançar com a flexibilização por meio do plano do Minas Consciente. A decisão só foi possível após as duas regiões apresentarem índices controlados de contaminação pela doença e ocupação de leitos nos municípios.

Com mudança, autorizada pelo Comitê Extraordinário Covid-19, na última quarta-feira (22/07), a macrorregião Leste do Sul passará para a onda amarela, unindo-se às regiões de saúde Norte e Sul. Essa fase permite o funcionamento de estabelecimentos como salões de beleza, lojas de roupas, calçados, livrarias, papelarias, entre outros serviços, que deverão seguir rigorosamente os protocolos de segurança estipulados para reabertura.

Já a região Triângulo do Sul passará a seguir os protocolos da onda branca, quando é permitida a abertura de autoescolas, lojas de artigos esportivos e floriculturas. As regiões de saúde Noroeste, Sudeste e Centro-Sul já seguem as diretrizes do protocolo da onda branca.

No entanto, as macrorregiões de saúde Centro, Nordeste, Jequitinhonha, Leste, Vale do Aço, Oeste e Triângulo do Norte permanecem na onda verde, que permite apenas o funcionamento de serviços essenciais. As regiões ainda não apresentam índices favoráveis para a retomada de novos setores econômicos.

O governador Romeu Zema comentou que os números colhidos na última semana indicam uma estabilização da curva de contágio. “Muito provavelmente vivenciamos, na última semana, o pico teórico da pandemia, e os números indicam uma certa estabilização no número de casos. A média de óbitos dos últimos sete dias (59) já ficou muito próxima da média dos últimos 14 dias (57,9). São dois números similares, que já demonstram um nivelamento”, disse.

Antes de reabrir a empresa, o empresário deve consultar se o seu município optou por seguir o protocolo do governo estadual. Neste programa, a reativação das atividades econômicas foi classificada de forma progressiva em quatro “ondas”, sendo elas: verde (serviços essenciais), branca (baixo risco), amarela (médio risco) e vermelha (alto risco).

Para saber mais sobre o programa, acessar os protocolos e conferir a classificação de cada segmento, acesse www.mg.gov.br/minasconsciente/empresarios.

* Com informações da Agência Minas

Postagens Recentes