*** Maria Luiza Maia Oliveira – Presidente interina da Fecomércio MG

Nossas ruas nunca estiveram tão desertas, as lojas tão vazias e a economia tão fragilizada em pouco tempo. A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) forçou o fechamento definitivo de milhares de empresas no estado e a suspensão de dezenas de atividades econômicas. Como consequência, 81,4% dos empresários tiveram ou ainda acumulam prejuízos em seus negócios. Mas, diante de um cenário aparentemente desalentador, como reverter esse jogo?

Os dados recentes apurados pela Fecomércio MG evidenciam a delicada situação do comércio de bens, serviços e turismo no estado. Responsável por 67% das riquezas geradas em Minas Gerais, o setor tem sentido os impactos causados pela pandemia em diversos de seus segmentos. Segundo empresários, o fluxo de clientes nas lojas não retornou ao nível pré-pandemia em 45% dos casos, tendo ficado abaixo das expectativas para 61,9% dos entrevistados.

O momento se torna ainda mais delicado quando se observa os problemas de liquidez que acometem quase 64% das empresas de comércio e serviços do estado. Com as dificuldades de honrar suas obrigações tributárias, muitas apenas adiadas pelo poder público, o empresário vê no começo de 2021 a soma de novas contas a pagar e problemas de caixa a serem superados.

Com hospitais cada vez mais lotados, a fotografia que se constrói diante de nossos olhos escancara os fatos: a pandemia ainda é uma realidade. E, por isso, exige ações efetivas. Desde o início da crise, a Fecomércio MG tem atuado junto às esferas federal, estadual e municipais na construção de soluções capazes de assegurar a manutenção das atividades empresariais, como a revisão do plano “Minas Consciente” e a formulação de demandas tributárias.

Além disso, como parte do Sistema Fecomércio MG, Sesc, Senac e Sindicatos Empresariais – alicerçado pelo tripé desenvolvimento empresarial, capacitação profissional e garantia de bem-estar – entendemos que saúde e economia são questões indissociáveis. Nesse sentido, reforçamos os cuidados necessários ao combate ao novo coronavírus por meio de lives, e-books e materiais orientativos.

Mas também sabemos que o sucesso de nossas ações e dos esforços de nossos 580 mil representados depende da vacinação contra o Covid-19. A vacina vai criar condições para que a economia se restabeleça, permitindo ao comércio de bens, serviços e turismo que trabalhe em busca de bons resultados. Afinal, milhares de negócios foram duramente afetados em quase um ano de pandemia do novo coronavírus, permanecendo, por meses, de portas fechadas.

Esse sacrifício provocou incertezas quanto à sobrevivência dessas empresas e à manutenção de empregos em todo o estado. Por isso, a Fecomércio MG conclama toda a população mineira apta a se vacinar que se imune e continue a seguir os protocolos sanitários. Só com a população vacinada e os cuidados constantes com a higiene, iremos garantir o futuro da economia, a reabertura definitiva das atividades empresariais, além de confiança para empresários e consumidores.

Assim, com mais otimismo, o setor poderá recuperar vendas, fazer investimentos, gerar novos empregos e vencer, de vez, a luta contra o Covid-19.

* Publicado no jornal O Tempo

Postagens Recentes