O governo de Minas anunciou a progressão de quatro macrorregiões de saúde e seis microrregiões para a onda vermelha do Minas Consciente a partir de sábado (17/04). A decisão foi tomada pelo Comitê Extraordinário Covid-19 e anunciada nesta quinta-feira (15/04) em coletiva à imprensa. A Fecomércio MG destaca que a medida é uma resposta positiva à mobilização de diversas entidades empresariais pelo retorno seguro das atividades econômicas em todo o estado.

Durante reunião na manhã de ontem (16/04), a Diretoria da Federação solicitou ao governador Romeu Zema a revisão da onda roxa em Minas. Em resposta à entidade, o governo estadual permitiu a progressão de mais da metade dos municípios mineiros para a onda vermelha. Nessa fase, todas as atividades empresariais podem funcionar, desde que alguns protocolos sejam cumpridos.

Com a decisão, as macrorregiões Jequitinhonha, Norte, Sudeste e Sul e as microrregiões de Belo Horizonte/Nova Lima/Caeté, Betim, Contagem, Curvelo, Manhuaçu e Vespasiano poderão avançar para a onda vermelha. Elas se juntam às macrorregiões Noroeste, Triângulo-Norte e Triângulo-Sul, que já haviam progredido de fase desde o dia 9 de abril. As demais regiões seguem na onda roxa, a fase mais restritiva do plano Minas Consciente.

“A Fecomércio MG vê a medida, ainda que parcial, como um avanço. Sabemos da importância de equilibrar saúde e economia, mas a situação do comércio de bens, serviços e turismo já se encontra insustentável. Por isso, seguiremos pedindo a revisão da onda roxa para todo o estado, além de melhores condições financeiras para as empresas”, destaca a presidente interina da Fecomércio MG, Maria Luiza Maia Oliveira.

Regras a cumprir

Entre os protocolos a serem cumpridos na onda vermelha estão a distância linear de 3 metros, a capacidade de 10 metros quadrados (m2) por indivíduo, a lotação máxima de 30 pessoas por evento e a limitação de 50% da ocupação de hotéis e similares. Já na onda roxa, apenas o comércio essencial possui permissão para abrir. As demais atividades podem funcionar apenas para atividades internas, delivery ou retirada de produtos por drive-thru.

Na última semana, o estado registrou um aumento de 4,01% no número de casos do novo coronavírus e de 6,81% nos óbitos. Esse resultado justifica a progressão de onda limitada às regiões que apresentaram melhores resultados na incidência da doença e também na ocupação dos leitos. Até essa quarta-feira (14/04), a pandemia de Covid-19 já havia provocado 28.636 mortes em Minas, em um total de 1,25 milhões casos confirmados da doença.

Diante do ainda grave cenário da pandemia no estado, a presidente interina da Fecomércio MG reforça a necessidade de a população mineira seguir à risca os protocolos e aderir à vacinação contra o Covid-19. “Somente com a população vacinada e os cuidados constantes com a higiene, iremos garantir o futuro da economia, a reabertura definitiva das atividades empresariais, além de contribuir com a recuperação da confiança de empresários e consumidores”, defende.

Postagens Recentes