Analisar o cenário tributário mineiro e a necessidade de reformas estruturantes no país. Esses foram alguns temas abordados pelo secretário-adjunto da Fazenda de Minas Gerais, Luiz Claudio Lourenço, na manhã dessa quarta-feira (22/09), durante a Reunião de Diretoria da Fecomércio MG. Ele defendeu uma Reforma Tributária ampla, capaz de fazer com que a economia do país se recupere e mantenha um crescimento satisfatório.

Além disso, Lourenço explicou aos diretores os detalhes sobre a 1ª fase do projeto de barreira tributária eletrônica, a ser implementado sem custos pelo governo de Minas até o fim do ano, com base na infraestrutura atual de câmeras de trânsito. A ideia é monitorar a entrada e saída de mercadorias do estado, a fim de combater a sonegação e garantir mais equidade no tratamento com os contribuintes.

O secretário-adjunto também esclareceu que os problemas ocorridos no sistema de emissão da NFC-e já foram sanados. Segundo Lourenço, em breve, será lançada uma cartilha de boas práticas para as empresas emissoras desse documento fiscal, obrigatório para todas as faixas desde 1º de agosto, exceto para as empresas que faturem até R$ 120 mil.

Postagens Recentes