Confiança do empresário em BH atinge maior patamar desde o início da pandemia

Pelo quinto mês consecutivo, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) de Belo Horizonte registrou expansão. Em novembro, o indicador atingiu 102,0 pontos, ultrapassando, assim, a fronteira do otimismo (acima de 100 pontos). O resultado não supera os valores registrados nos primeiros meses de 2020, quando o Icec estava acima dessa faixa. No entanto, é o maior registrado no segundo semestre de 2020.

Elaborado mensalmente pela Fecomércio MG, com base em dados coletados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o índice reflete as perspectivas em relação ao futuro da economia, do comércio e das empresas, antecedendo aos resultados nas lojas. Além de servir como referência para as decisões relativas ao desenvolvimento local, o Icec subsidia os empresários em investimentos e na geração de novos empregos.

A economista da Fecomércio MG, Bárbara Guimarães, observa que o crescimento do indicador é reflexo da confiança do empresário nos últimos meses do ano. “Tradicionalmente, este período é marcado por datas importantes para o varejo, que incluem ações como a Black Friday, o pagamento dos recursos do 13º salário e as compras de Natal. Para atender esse movimento, os empresários buscaram opções para atrair os consumidores e, assim, efetivar suas vendas, contribuindo para fortalecer o caixa do estabelecimento,” explica.

O Icec de novembro mostrou que todos os subíndices expandiram na comparação com outubro. O Índice de Condições Atuais do Empresário do Comércio (Icaec) – que avalia a evolução da conjuntura econômica do país, do setor e das empresas – avançou 8,2 pontos, saindo de 65,8 para 74,0 pontos.

Já o Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (Ieec), que sinaliza as impressões do setor em relação aos próximos meses, expandiu 5,7 pontos em novembro, atingindo 139,8 pontos. A confiança no crescimento das vendas da própria loja (87,2%), na expansão do setor (84,3%) e na melhora da economia brasileira (78,8%) contribuíram para esse resultado.

O outro item que apresentou elevação, no mesmo período, foi o Índice de Investimento do Empresário do Comércio (Iiec) – que retrata os planos de melhoria na loja, de ampliação de estoques e do quadro de funcionários. Ele atingiu 92,2 pontos, frente aos 86,5 do mês anterior. O destaque, nesse subindicador, cabe aos 64,9% dos entrevistados que projetam ampliar o quadro de funcionários e aos 51,7% que afirmaram estar com seus estoques adequados.

Para elaborar a pesquisa de novembro, foram entrevistados mil empresários de Belo Horizonte nos últimos dez dias de outubro. A margem de erro é de 3,5% e o intervalo de confiança de 95%.Confira, na íntegra, o relatório do Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) – Novembro/2020