Satisfação do turista chega a 70% em BH

A infraestrutura e a prestação de serviços têm agradado ao turista que visita a capital mineira. É o que mostra o resultado da Pesquisa de Satisfação do Turista de Belo Horizonte, realizada este ano pela área de Estudos Econômicos e o Núcleo de Turismo do Sistema Fecomércio MG, Sesc, Senac e Sindicatos em parceria com a Belotur.

A pesquisa – Realizada entre 28 de abril e 6 de maio de 2014, a Pesquisa de Satisfação do Turista foi aplicada com 848 turistas nos principais portões de saída da capital mineira, como o Terminal Rodoviário, os aeroportos Internacional Tancredo Neves e Pampulha e Conexão Aeroporto, e ainda, no Mercado Central e nos Centros de Atendimento ao Turista. O objetivo foi traçar o perfil do visitante e mostrar a avaliação dos turistas que visitam a capital a respeito do comércio, da prestação de serviços e da infraestrutura turística.

Expectativas atendidas – Dos entrevistados, 70,9% dizem ter sido atendidos plenamente em suas expectativas durante a viagem. Os turistas são em sua maioria do próprio Estado de Minas Gerais (43%), seguido dos visitantes de São Paulo (17,4%) e Rio de Janeiro (9,4%). E ainda, 3,9% são estrangeiros, predominantemente dos Estados Unidos (28,1%) e da França (12,5%). Do total de entrevistados, 59,6% visitam a capital mineira duas ou mais vezes por ano. A motivação principal da viagem foi visita a amigos e parentes (25,7%), seguida de negócios ou trabalho (21,8%). Questionados sobre o que mais gostaram na cidade, 16,8% dos entrevistados lembraram dos bares e restaurantes, seguido por: shoppings (8,5%), gastronomia (6,7%) e parques (5,5%) e praças (5,1%). Durante a permanência média de 4,7 dias na cidade, o vestuário foi o item de maior valor gasto atingindo, em média, R$ 353,62 por pessoa. De acordo com Mariana Lima, turismóloga da Fecomércio MG, esses dados sinalizam o que o Sistema Fecomércio MG vêm desenvolvendo: a importância de se trabalhar os segmentos econômicos da capital. “Aliado ao turismo de negócios, outro segmento que se desponta em Belo Horizonte é o turismo de compras, o visitante vêm para participar de um evento e realizar negócios sim, mas ele aproveita para comprar diversos artigos como vestuários e calçados”. Para os quesitos serviços, estabelecimentos e infraestrutura turística foi aferida uma nota que variava de 1 a 5, sendo 1 péssimo e 5 ótimo. Em relação aos serviços e estabelecimentos, a gastronomia foi o setor melhor avaliado, com nota 4,42, seguida por: bares e restaurantes (4,19) e diversão noturna (4,12), reforçando o título de Belo Horizonte como “capital mundial dos bares” e comprovando a oferta de gastronomia mineira como diferencial de competitividade para o turismo na capital. O serviço de hospedagem aparece com a média de 4,07. Já na pesquisa sobre infraestrutura turística, os espaços para eventos foram o item melhor avaliado, com nota 3,81, seguido dos táxis (3,79), serviço de telefonia móvel (3,54) e sinalização turística (3,24). De acordo com o presidente da Belotur, Mauro Werkema, a avaliação evidencia a vocação de Belo Horizonte para o turismo de negócios e eventos, valorizando seus aspectos de uma cidade criativa e qualificada na prestação de serviço e em sua infraestrutura. “Nossos equipamentos estão preparados para receber eventos de todos os portes. Para se ter uma ideia, o Expominas terá capacidade para atender, diariamente, 21 mil turistas e torcedores durante a Fifa Fan Fest. Esta é uma grande oportunidade de treinamento para toda a cadeia produtiva do turismo da capital e será um dos principais legados para o pós Copa”.Veja a pesquisa na íntegra